CAPTOTEC HCT - Bula

CAPTOTEC HCT



CAPTOTEC HCT

CAPTOTEC HCT CAPTOPRIL + HIDROCLOROTIAZIDA

No Registro-MS: 1.0047.0278

Apresentações

30 comprimidos snap tab 50/25 miligramas

Indicações

CAPTOTEC HCT é indicado para o tratamento da hipertensão. Os efeitos redutores da pressão arterial de CAPTOPRIL e das tiazidas são aproximadamente aditivos. Esta combinação fixa de drogas pode ser utilizada como terapia inicial ou como terapia de substituição em pacientes recebendo doses individuais previamente tituladas dos seus componentes.

Contraindicações

CAPTOTEC HCT é contraindicado para pacientes hipersensíveis ao captopril ou a qualquer outro inibidor da enzima conversora da angiotensina, bem como em pacientes que tenham demonstrado hipersensibilidade prévia a hidroclorotiazida ou outras drogas derivadas da sulfonamida. A hidroclorotiazida é contraindicada na anúria.

Cuidados e advertências

CAPTOPRIL:

Angiedema: Relata-se a ocorrência de angioedema envolvendo as extremidades, face, lábios, mucosas, língua, glote ou laringe em pacientes tratados com captopril. Edema limitado à face, mucosa bucal, lábios e extremidades tem normalmente se resolvido com a descontinuação do tratamento. Neutropenia/Agranulocitose:

Relata-se neutropenia (<1000/mm3) com hipoplasia mielóide com o uso de captopril. Relata-se a ocorrência de neutropenia em pacientes com dano renal fazendo uso do alopurinol concomitantemente com captopril. Os mesmos fatores de risco para a neutropenia estão presentes na insuficiência cardíaca. Função Renal Prejudicada: Alguns pacientes com doença renal, particularmente aqueles com estenose grave da artéria renal, podem desenvolver aumentos de uréia e creatinina sérica após redução da pressão arterial com captopril. Hipercalemia: Elevações no potássio sérico foram observadas em alguns pacientes tratados com captopril. O risco de desenvolvimento de hipercalemia existe nos pacientes com insuficiência renal, diabetes melittus e aqueles usando concomitantemente diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos do sal contendo potássio, ou outras drogas associadas com aumentos de potássio sérico. Tosse: Relata-se tosse com o uso de inibidores da ECA. Não é produtiva, persistente e desaparece após a descontinuação da terapia. Cirurgia/Anestesia: Em pacientes em cirurgia de grande porte ou durante anestesia com agentes que produzem hipotensão, captopril bloqueará a formação de angiotensina II secundária à liberação compensatória de renina. Se ocorrer hipotensão, e esta for considerada como ocorrendo por este mecanismo, ela pode ser corrigida por expansão de volume. Proteinúria: Constatou-se proteínas urinárias totais superiores a 1 g/dia em cerca de 0,7% dos pacientes recebendo captopril. Hipotensão: Casos de hipotensão excessiva foram raramente observados em pacientes hipertensos porém é uma consequência possível do uso do captopril em pessoas com depleção de sal/volume, em pacientes com insuficiência cardíaca ou naqueles sob diálise renal. Morbidade e Mortalidade Fetal /Neonatal: Quando usados na gravidez durante o segundo e terceiro trimestres, os inibidores da ECA podem causar danos ao desenvolvimento e mesmo morte fetal. Quando a gravidez for detectada, CAPTOTEC HCT deve ser descontinuado o quanto antes. O uso de inibidores da ECA durante o segundo e terceiro trimestres da gravidez está associado com dano fetal e neonatal, incluindo hipotensão, hipoplasia do crânio no recém-nascido, anúria, insuficiência renal reversível ou não e mesmo morte fetal. Relata-se também oligohidrâmnios associados com contraturas dos membros do feto, deformações crânio-faciais e desenvolvimento hipoplásico do pulmão. Se oligohidrâmnios forem observados, CAPTOTEC HCT deve ser descontinuado, a menos que seja considerado como fundamental na manutenção da vida materna.

HIDROCLOROTIAZIDA:

As tiazidas devem ser usadas com cautela na doença renal grave. Em pacientes com doenças renais, as tiazidas podem precipitar a azotemia. Os efeitos cumulativos da droga podem se desenvolver em pacientes com função renal comprometida.

As tiazidas devem ser usadas com cautela em pacientes com função hepática prejudicada ou doença hepática progressiva, já que pequenas alterações no equilíbrio dos líquidos e eletrólitos podem levar ao coma hepático. Reações de sensibilidade podem ocorrer em pacientes com ou sem história de alergia ou asma brônquica. Todos os pacientes recebendo terapia tiazídica devem ser monitorizados quanto a sinais clínicos de desequilíbrio hidro-eletrolítico como hiponatremia, alcalose hipoclorêmica e hipocalemia. Sinais e sintomas de advertências de desequilíbrio de líquidos e eletrólitos podem incluir: boca seca, sede, fraqueza, letargia, sonolência, inquietação, dores musculares ou cãibras, fadiga muscular, hipotensão, oligúria, taquicardia e distúrbios gastrintestinais tais como náusea e vômitos. Hipocalemia pode se desenvolver, especialmente quando há diurese intensa ou quando cirrose grave estiver presente. A interferência na ingestão oral adequada de eletrólitos também pode contribuir para a ocorrência de hipocalemia. Alguns pacientes podem necessitar de suplementos de potássio e/ou alimentos com alto teor de potássio. Gravidez: As tiazidas atravessam a barreira placentária e são detectadas no sangue fetal.

O uso das tiazidas em mulheres grávidas requer a avaliação do benefício contra os possíveis danos para o feto. Estes danos incluem icterícia fetal ou neonatal e trombocitopenia. Lactantes: CAPTOTEC HCT é excretado no leite materno. Devido ao potencial das duas drogas para causar reações adversas graves em lactentes, deve-se decidir descontinuar a amamentação, levando-se em consideração a importância de CAPTOTEC HCT para a mãe.

Posologia

A posologia deve ser individualizada conforme a resposta do paciente. A terapia pode ser instituída com 1/2 (meio) comprimido de CAPTOTEC HCT uma vez ao dia. Para os pacientes que demonstraram resposta insuficiente para a dose inicial, aumentar CAPTOTEC HCT para 1 comprimido uma vez ao dia. CAPTOTEC HCT deve ser ingerido 1 hora antes das refeições. Ajustes quando há comprometimento renal: Pelo fato de CAPTOTEC HCT ser excretado principalmente pelos rins, a excreção é reduzida em pacientes com comprometimento da função renal. Estes pacientes demorarão mais para atingir os níveis de equilíbrio do fármaco e atingirão um nível de equilíbrio maior para uma determinada dose diária do que os pacientes com função renal normal. Dessa maneira, estes pacientes podem responder a doses menores ou menos frequentes de CAPTOTEC HCT. Atingido o efeito terapêutico desejado, os intervalos entre as doses devem ser aumentados ou a dose total diária diminuída até que se atinja a dose eficaz mínima.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

ESTE TEXTO É UM RESUMO, PARA INFORMAÇÕES DETALHADAS CONSULTE A BULA DO PRODUTO.</


Bulas
Principal