Ceforan - Bula

Ceforan



Ceforan

Indicação

Para quê serve Ceforan?

No tratamento de infecções por microrganismos sensíveis à Cefotaxima Sódica.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

È contraindicado em casos de hipersensibilidade às cefalosporinas e às penicilinas. Em pacientes alérgicos às penicilinas é possível a ocorrência de reação de sensibilidade cruzada.

Posologia

Como usar Ceforan?

Adultos e adolescentes acima de 12 anos de idade: a posologia e a via de administração devem ser determinadas pela suscetibilidade do organismo causal, gravidade da infecção e condição do paciente. O medicamento pode ser administrado por via intramuscular ou intravenosa após reconstituição.

A dose usual da Cefotaxima deve ser de 2 a 6 g ao dia, divididas em 2 ou 3 administrações diárias.

Infecções moderadas a severas podem ser tratadas com 3g ao dia, reservando-se para as infecções que apresentam risco de vida doses até 6g ao dia.

A dose diária máxima não deve ultrapassar 12g.

Para a gonorréia recomenda-se uma dose única de 0,5g por via intramuscular (o tratamento da gonorréia causada por germes menos sensíveis requer aumento da dose).

Recém-nascidos, bebês e crianças: Bebês e crianças de até 12 anos devem receber o medicamento na dose diária de 50 a 100mg/kg de peso corporal em 2 a 4 doses iguais. Em casos onde ocorram infecções com risco de vida pode-se utilizar a dose diária de 150 a 200mg/kg de peso corporal.

No caso de uso em prematuros a dose máxima não deve ultrapassar a 50mg/kg de peso corporal.

Para a profilaxia de infecções pós-cirúrgicas deve-se administrar uma dose única, 30 a 60 minutos antes do início da cirurgia. Dependendo do risco de infecção esta mesma dose pode ser repetida. Para se determinar a dose ver posologia "bebês e crianças" acima.

Paciente com insuficiência renal e em diálise: Se a depuração de creatinina for menor que 5ml/min, a dose de manutenção deve ser reduzida para a metade da normal.

Duração do tratamento: Como na terapia com antibióticos em geral a administração de Cefotaxima deve ser continuada por um mínimo de 48 a 72horas após abaixar a temperatura do paciente ou após constatação da erradicação bacteriana; é recomendável um mínimo de 10 dias de tratamento para infecções causadas por estreptococos beta-hemolíticos do Grupo A, a fim de garantir contra o risco de febre reumática ou glomerulonefrite; é necessário avaliação bacteriológica e clínica frequente durante a terapia de infecção do trato urinário crônico e pode ser requerida para muitos meses após o término da terapia; infecções persistentes podem requerer tratamento de muitas semanas e doses menores que as indicadas acima não devem ser usadas.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

O medicamento é, de um modo geral, bem tolerado. As reações adversas mais comuns foram reações locais consequentes às injeções intramuscular e intravenosa. Outras reações adversas ocorreram raramente.

Reações de hipersensibilidade: como todas as cefalosporinas, pode eventualmente provocar reações alérgicas de pele (exemplo, urticária, exantema), prurido, febre medicamentosa, nefrite intersticial (muito raramente) e anafilaxia.

Efeitos sobre a crase sanguínea: eosinofilia, leucopenia e trombocitopenia transitória.

Efeitos na função renal: aumento transitório na creatinina sérica e uréia é passível de ocorrência.

Efeitos sobre o trato gastrointestinal: embora raramente, efeitos sobre a função hepática, por exemplo aumento nos níveis séricos da bilirrubina e/ou das enzimas hepáticas AST (TGO), ALT (TGP), gamma GT, fosfatase alcalina e DHL. Sinais de comprometimento gastrointestinal como náuseas, vômitos, dor abdominal ou diarréia, podem ocorrer; se a diarréia for leve não necessitará interrupção do tratamento. Se for grave e persistente, é necessária uma reavaliação médica e, eventualmente, coloscopia. Se for constatada a presença de colite pseudomembranosa o tratamento deve ser imediatamente suspenso. Esta condição inflamatória induzida por antibioticoterapia pode apresentar risco de vida. Tratamento específico deve ser iniciado sem demora. Drogas que inibam a motilidade intestinal (peristalse) não devem ser então administradas.

Quando administrado por via intravenosa pode provocar flebite. Isto pode ser evitado injetando-se a solução lentamente (3 a 5 minutos). Quando aplicado por via intramuscular pode ocorrer dor local.

Como com outros antibióticos beta-lactâmicos, granulocitopenia e, mais raramente, agranulocitose podem desenvolver-se durante o tratamento com Cefotaxima, particularmente se administrado por longos períodos. Para os casos de tratamento com duração maior que 10 dias deve ser monitorada a contagem sanguínea. Raros casos de anemia hemolítica foram relatados.

A ocorrência do choque anafilático é bastante rara, porém é possível.

A ocorrência de um ou mais dos seguintes sintomas tem sido relatada após várias semanas de tratamento de borrellose: erupção cutânea, prurido, febre, leucopenia, aumento das enzimas hepáticas, dificuldade em respirar, desconforto articular. Até certo ponto estas manifestações são consistentes com os sintomas da doença principal para o qual o paciente está sendo tratado.

Pacientes em uso do medicamento podem apresentar resultados falso-positivos ao teste de Coombs. O mesmo pode ocorrer com determinações não enzimáticas de glicosúria.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Caso ocorra superdosagem com o uso do medicamento, o paciente deve ingerir uma grande quantidade de líquido para acelerar a diurese e incrementar a excreção urinária do princípio ativo.

O tratamento é sintomático e deve ser acompanhado das medidas de suporte do estado geral.

Aos primeiros sinais de choque anafiláctico (transpiração, náusea, cianose) interromper imediatamente a administração.

Além das medidas normais de emergência, colocar o paciente na posição horizontal com as pernas elevadas e vias aéreas desobstruídas.

Aplicar imediatamente epinefrina por via intravenosa (diluir 1 ml da apresentação comercial a 1:1000 para 10ml).

Composição

Pó Para Solução Injetável Cada frasco-ampola contém:

Cefotaxima 1g (na forma sódica) Cada ampola de diluente contém:

Água para injeção 4ml

Apresentação

Pó para solução injetável: caixa com 1 frasco-ampola + uma ampola de diluente.

Interações Medicamentosas

Administração concomitante ou subsequente de drogas potencialmente nefrotóxicas (por exemplo, aminoglicosídeos) exige uma estreita monitorização da função renal.

Por inibir a excreção renal, a administração simultânea de probenecida aumenta e prolonga a duração da concentração de Cefotaxima sérica.

Venda

Venda sob prescrição médica.

Pacientes Idosos

Pacientes idosos possuem sensibilidade maior ao produto do que pessoas mais jovens. é aconselhável que o médico observe o paciente e ajuste a dosagem de acordo com a resposta clínica.

Interferência Em Exames Laboratoriais

Podem ocorrer alterações nas concentrações séricas de alanina aminotranferase, fosfatase alcalina, aspartato aminotransferase, lactato desidrogenase, nitrogênio uréico no sangue, creatinina, bilirrubina e plaquetas. Pode causar também resultados falso-positivos nas reações de sulfato de cobre nos testes de glicose na urina.

Laboratório

União Química Farmacêutica Nacional S.A.


Bulas
Principal