Cetoprofeno 150mg Lib Lenta - Bula

Cetoprofeno 150mg Lib Lenta



Referência

Bi-Profenid (Sanofi-Aventis)

Apresentação de Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta

USO ADULTO Uso oral Comprimidos de 2 camadas, cada uma contendo 75 miligramas de cetoprofeno, totalizando 150 miligramas de cetoprofeno. Caixa com 10 comprimidos a 150 miligramas de cetoprofeno. Composição Cada comprimido contém: cetoprofeno ...150 miligramas excipientes q.s.p...1 comprimido (lactose monohidratada, amido de milho, sílica hidratada, estearato de magnésio, fosfato de cálcio dibásico, hietelose, fosfato sódico de riboflavina).

Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta - Indicações

O cetoprofeno, princípio ativo de Bi-Profenid (cetoprofeno) é um potente inibidor da síntese de prostaglandinas, atuando como anti-inflamatório, analgésico não hormonal e antipirético. Está indicado, portanto em: Processos otorrinolaringológicos: sinusites, otites, faringites, laringites, amigdalites; Processos ginecológicos-obstétricos: anexites, parametrites, endometrites, dismenorréia; Lesões traumáticas: como contusões e esmagamentos, fraturas, entorses, luxações; Algias diversas: nevralgia cérvico braquial, cervicalgia, lombalgia, ciática, pós operatórios diversos; Processos reumáticos: artrite reumatóide, espondilite anquilosante, gota, condrocalcinose, reumatismo psoriático, sídrome de Reiter, pseudo-artrite, lupus eritematoso sistêmico, esclerodermia, periartrite nodosa, osteoartrite, periartrite escápulo-umeral, bursites, capsulites, sinovites, tensinovites, tendinites, epicondilites; Processos urológicos: cólica nefrética, orquioepididimites, prostatites e Processos odontológicos: periodontites, pulpites, abscessos, extrações dentárias.

Contraindicações de Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta

- Pacientes com história de reações de hipersensibilidade ao cetoprofeno, como crises asmáticas ou outros tipos de reações alérgicas ao cetoprofeno, ao ácido acetilsalicílico ou a outros anti-inflamatórios não-esteroidais. Nestes pacientes foram relatados raros casos de reações anafiláticas severas, raramente fatais. - +lcera péptica ativa. - Insuficiência hepática severa. - Insuficiência renal severa. - Terceiro trimestre da gravidez. Como outros agentes anti-inflamatórios não-esteroidais, cetoprofeno é contraindicado em pacientes nos quais crises de asma, urticária ou rinite aguda são causadas pelo ácido acetilsalicílico ou por outros fármacos com atividade inibidora da prostaglandina-sintetase.

Advertências

Embora os anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) possam ser requeridos para o alívio das complicações reumáticas que ocorrem devido ao lupus eritematoso sistêmico (LES), recomenda-se extrema cautela na sua utilização, uma vez que pacientes com LES podem apresentar predisposição à toxicidade por AINEs no sistema nervoso central (SNC) e/ou renal. Devido à possibilidade de lesões gastrintestinais severas, deve-se empregar atenção especial a qualquer alteração digestiva e especialmente em casos de hemorragia gastrintestinal. Este risco é particularmente elevado em pacientes que continuam recebendo terapia com anticoagulante. Deve-se ter cautela em pacientes com história de úlcera péptica. Assim como para os demais anti-inflamatórios não-esteroidais, na presença de doença infecciosa, deve-se notar que as propriedades anti-inflamatória, analgésica e antipirética do cetoprofeno podem mascarar os sinais habituais de progressão da infecção, como por exemplo febre. Se ocorrerem distúrbios visuais, tal como visão embaçada, o tratamento com cetoprofeno deve ser descontinuado. Os pacientes devem ser advertidos sobre o risco de ocorrência de sonolência, tontura ou convulsão durante o tratamento com cetoprofeno e orientados a não dirigir veículos ou operar máquinas caso estes sintomas apareçam. A ingestão de álcool pode aumentar o risco de toxicidade hepática e sangramento gastrintestinal, portanto, não se recomenda a ingestão de bebidas alcoólicas durante a administração de cetoprofeno e outros anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs). Risco de uso por via de administração não recomendada. Não há estudos dos efeitos de BI-PROFENID (cetoprofeno) administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente pela via oral.

Uso na gravidez de Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta

Não existe evidência de teratogenicidade ou embriotoxicidade durante o primeiro e segundo trimestres da gestação em camundongos e ratos. Em coelhos foram relatados leves efeitos de embriotoxicidade provavelmente relacionados à toxicidade materna. Como a segurança do cetoprofeno em gestantes não foi avaliada, seu uso deve ser evitado durante o primeiro e segundo trimestres da gravidez. Durante o terceiro trimestre da gravidez, todo inibidor da síntese de prostaglandinas, inclusive o cetoprofeno, pode induzir toxicidade cardiopulmonar e renal no feto. No final da gravidez, pode ocorrer aumento do tempo de sangramento das mães e dos fetos. Portanto, cetoprofeno é contraindicado durante os últimos três meses da gravidez. Este medicamento não pode ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Categoria de risco na gravidez: categoria C Lactação Não existem dados disponíveis sobre a excreção de cetoprofeno no leite materno. O uso de cetoprofeno não é recomendado em lactantes.

Interações medicamentosas de Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta

Associações desaconselhadas - Outros anti-inflamatórios não-esteroidais, inclusive altas dosagens de salicilatos: aumento do risco de ulceração e sangramento gastrintestinais. - Alcool: risco de efeitos adversos gastrintestinais, incluindo ulceração ou hemorragia; pode aumentar o risco de toxicidade hepática. - Anticoagulantes orais, heparina por via parenteral e ticlodipina: aumento do risco de sangramento por inibição da agregação plaquetária. Se o tratamento concomitante não puder ser evitado, deve-se realizar cuidadosa monitorização (testes laboratoriais, como tempo de sangramento). - Colchicina: aumenta o risco de ulceração ou hemorragia gastrintestinal. A inibição da agregação plaquetária promovida por AINEs adicionada aos efeitos da colchicina nos mecanismos de coagulação sanguínea (a colchicina pode causar trombocitopenia em uso crônico e defeitos na coagulação, incluindo coagulação intravascular disseminada - em superdosagem), pode aumentar o risco de sangramento em outros locais que não sejam o trato gastrintestinal. - Lítio: risco de aumento dos níveis plasmáticos de lítio, pela diminuição da sua excreção renal, podendo atingir níveis tóxicos. Realizar, se necessário, uma cuidadosa monitorização dos níveis de lítio e ajuste posológico do mesmo durante e após tratamento com anti-inflamatórios não-esteroidais. - Outros medicamentos fotossensibilizantes: pode causar efeitos fotossensibilizantes adicionais. - Metotrexato em doses maiores do que 15 mg/semana: aumento da toxicidade hematológica do metotrexato, especialmente quando administrado em altas doses (> 15 mg/semana), possivelmente relacionado ao deslocamento do metotrexato ligado à proteína e à diminuição do seu clearance renal. Em caso de tratamento anterior com cetoprofeno, o uso do mesmo deve ser interrompido pelo menos 12 horas antes da administração de metotrexato e o cetoprofeno não pode ser administrado pelo menos antes de 12 horas após o tratamento com metotrexato. ASSOCIAÇÕES QUE REQUEREM PRECAUÇÕES - Diuréticos: pacientes (particularmente desidratados) utilizando diuréticos apresentam maior risco de desenvolvimento de insuficiência renal secundária à diminuição do fluxo sanguíneo renal causada pela inibição de prostaglandina. Estes pacientes devem ser reidratados antes de se iniciar tratamento concomitante e a função renal dos mesmos deve ser monitorizada quando o tratamento for iniciado. - Metotrexato em doses menores do que 15 mg/semana: durante as primeiras semanas de tratamento em associação, deve-se monitorizar o hemograma semanalmente. Se houver qualquer alteração da função renal ou se o paciente é idoso, a monitorização deve ser realizada com maior frequência. - Pentoxifilina: aumento do risco hemorrágico. orçar a vigilância clínica e monitorizar o tempo de sangramento com maior frequência. ASSOCIAÇÕES A SEREM CONSIDERADAS - Agentes anti-hipertensivos (beta-bloqueadores, inibidores da enzima conversora de angiotensina, diuréticos): risco de redução do efeito anti-hipertensivo por inibição das prostaglandinas vasodilatadoras pelos anti-inflamatórios não-esteroidais. - Trombolíticos: aumento do risco de sangramento. - Probenecida: a administração concomitante com probenecida pode reduzir acentuadamente o clearance plasmático do cetoprofeno. - Gemeprost: a eficácia de Gemeprost pode ser reduzida. - Dispositivos intra-uterinos (DIU): possibilidade de diminuição da eficácia contraceptiva do DIU resultando em gravidez. Alimentos Não foram observadas interações clinicamente significativas na administração concomitante entre alimentos e cetoprofeno. Exames de laboratório O uso de cetoprofeno pode interferir na determinação de albumina urinária, sais biliares, 17-cetosteróides e 17-hidroxicorticosteróides que se baseiam na precipitação ácida ou em reação colorimétrica dos grupos carbonil.

Reações adversas e efeitos colaterais de Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta

- Efeitos gastrintestinais: gastralgia, dor abdominal, náusea, vômito, diarréia, constipação, gastrite, estomatite e mais raramente colite, úlcera péptica, hemorragia gastrintestinal e excepcionalmente perfuração. - Reações de hipersensibilidade - Dermatológicas: erupção cutânea, prurido, urticária e angioedema. - Respiratórias: crise asmática, broncoespasmo (principalmente em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao ácido acetilsalicílico ou outros anti-inflamatórios não-esteroidais). - Anafiláticas (incluindo choque). - Reações cutâneas: fotossensibilidade, alopécia, excepcionalmente podem ocorrer erupções bolhosas incluindo síndrome de Stevens-Johnson e síndrome de Lyell. - Sistema nervoso central e periférico: vertigem, parestesia, convulsões. - Alterações psicóticas : sonolência, alterações do humor. - Alterações visuais: visão embaçada. - Alterações auditivas: zumbidos. - Sistema renal: anormalidade nos testes de função renal, insuficiência renal aguda, nefrite intersticial e síndrome nefrótica. - S

Cetoprofeno 150 miligramas Lib Lenta - Posologia

Tratamento de ataque: 300 miligramas (2 comprimidos) por dia, divididos em 2 administrações. Tratamento de manutenção: a posologia pode ser diminuída para 150 mg/dia, em dose única. Dose máxima diária recomendada: 300 miligramas Posologia em casos especiais A segurança e eficácia do uso de cetoprofeno em crianças ainda não foram estabelecidas. Pacientes com insuficiência renal: É aconselhável reduzir a dose inicial e manter estes pacientes na dose mínima efetiva. Um ajuste posológico individual deve ser considerado somente após se ter apurado boa tolerância individual. Pacientes com insuficiência hepática: estes pacientes devem ser cuidadosamente monitorizados e deve-se manter a dose mínima efetiva diária. Conduta necessária caso haja esquecimento de administração Baseando-se nos sintomas, reintroduzir a medicação respeitando sempre os horários e intervalos recomendados. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Superdosagem

Casos de superdose foram relatados com doses de até 2,5 g de cetoprofeno. A grande maioria dos sintomas observados foram benignos e limitados à letargia, sonolência, náusea, vômito e dor epigástrica. Não existe nenhum antídoto específico para superdosagem ao cetoprofeno. Em caso suspeito de superdosagem elevada, recomenda-se lavagem gástrica, devendo-se instituir tratamento sintomático e de suporte visando compensar a desidratação, monitorizar a excreção urinária e corrigir a acidose, caso necessário. Se ocorrer insuficiência renal, hemodiálise pode ser útil para remover o fármaco circulante.

Características farmacológicas

Propriedades farmacodinâmicas O cetoprofeno, princípio ativo do BI-PROFENID (cetoprofeno), é um anti-inflamatório não-esteroidal, derivado do ácido arilcarboxílico. Pertencente ao grupo do ácido propiônico das drogas anti-inflamatórias não-esteroidais. BI-PROFENID (cetoprofeno) possui atividades anti-inflamatória, antipirética e apresenta atividade analgésica periférica e central. Inibe a síntese de prostaglandinas e a agregação plaquetária, no entanto, seu mecanismo de ação não está completamente elucidado. Propriedades farmacocinéticas Absorção A concentração plasmática máxima obtida é de 7,72 ¦ 1,6 mg/L, ocorrendo 1,21 ¦ 0,88 horas após a administração do comprimido de dupla camada. A absorção da camada superior (que contém 75 miligramas de cetoprofeno) é tão rápida quanto a observada com a forma cápsulas. A liberação do princípio ativo a partir da camada interna (que contém 75 miligramas de cetoprofeno) se sobrepõe à liberação a partir da camada externa. As concentrações plasmáticas apresentam um platô, entre 45 e 90 minutos, e são superiores àquelas observadas com as cápsulas, a partir da 3¬ hora. Distribuição O cetoprofeno encontra-se 99% ligado às proteínas plasmáticas. Difunde-se pelo líquido sinovial, tecidos intra-articulares, capsulares, sinoviais e tendinosos e atravessa a barreira placentária e hemato-encefálica. Apresenta meia-vida plasmática de eliminação de aproximadamente 3,57 horas. O seu volume de distribuição é de aproximadamente 7 L. Biotransformação O cetoprofeno é metabolizado por dois principais processos: a menor parte por hidroxilação e a maior parte por conjugação com ácido glicurônico. Menos do que 1% da dose administrada de cetoprofeno é encontrada sob a forma inalterada na urina, enquanto o derivado glicuroconjugado representa aproximadamente 65% a 85%. Excreção Esta forma farmacêutica de comprimido com dupla camada não modifica os processos de excreção renal do cetoprofeno. 50% da dose administrada é eliminada na urina dentro de 6 horas após a administração do medicamento. Durante 5 dias de administração oral, aproximadamente 75% a 90% da dose é excretada principalmente pela urina. A excreção fecal é muito pequena (1 a 8%). PACIENTES IDOSOS: a absorção do cetoprofeno não é modificada; há aumento da meia-vida (3 horas) e diminuição do clearance plasmático e renal. PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL: há diminuição do clearance plasmático e renal e aumento da meia-vida relacionados com a severidade da insuficiência renal. PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA HEPATICA: não ocorrem alterações significativas do clearance plasmático e da meia-vida de eliminação. No entanto, a fração não ligada encontra-se aumentada.

Resultados de eficácia

A eficácia de cetoprofeno está demonstrada nos seguintes estudos: Le Bi-Profénid 150 miligramas dans les pathologies rachidiennes et periarticulaires efficacité et securité demploi en pratique quotidienne. (TAMISIER, J. N. 1990); Étude comparative à double insu du Bi-Profénid comprimés et du Profénid gélules dans les rhumatismes inflammatoires. (CAMUS, J. P. 1983); Étude à long terme du Bi-Profénid 150 miligramas chez les patients suivis dans le service de rhumatologie de lHôspital Cochin. (AMOR, B. 1983) ; Preemptive, randomised, double-blind study with Ketoprofen in gynaecological surgery following the Breivik/Stubhaug design. (LIKAR, R. 1998); Emergency treatment of renal colic with intravenous ketoprofen. (EL-BAZ, M. A. 1995); Ketoprofen for pain after hip and knee arthroplasty. (HOMMERIL, J. L. 1994); A double blind crossover study of ketoprofen enteric and non-enteric-coated tablets in rheumatoid arthritis. (WILLANS M.J. 1982); Estudo aberto, não comparativo, para avaliar a eficácia e segurança do cetoprofeno entérico, 200 mg/dia, por via oral, durante sete dias, no tratamento da lombociatalgia aguda. (BRITO JR. C.A. 1993); Double-blind comparison between ketoprofen capsules four times daily and enteric-coated tablets twice daily un patients with osteoarthritis. (RUSSEL A.S. 1985); Parenteral ketoprofen for pain management after adenoidectomy: comparison of intravenous and intramuscular routes of administration. (TUOMILEHTO H. 2002); Ketoprofen: The European Experience. (AVOUAC B. 1988).

Modo de usar

Os comprimidos devem ser ingeridos com 1 copo de água durante as refeições. Depois de aberto, Bi-Profenid (cetoprofeno) deve ser mantido dentro da embalagem original e em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC).

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Idosos É aconselhável reduzir a dose inicial e manter o tratamento na dose mínima efetiva. Um ajuste posológico individual pode ser considerado somente após o desenvolvimento de boa tolerância individual. Crianças A segurança e eficácia do uso de cetoprofeno em crianças ainda não foram estabelecidas. Grupos de risco No início do tratamento, a função renal deve ser cuidadosamente monitorizada pelo médico em pacientes com insuficiência cardíaca, cirrose e patologia renal, naqueles que fazem uso de diuréticos, em pacientes com insuficiência renal crônica, principalmente se estes pacientes são idosos. Nesses pacientes, a administração do cetoprofeno pode induzir a redução no fluxo sanguíneo renal causada pela inibição da prostaglandina e levar à descompensação renal. Em pacientes que apresentam testes da função hepática alterados ou com história de hepatopatias, recomenda-se avaliar periodicamente os níveis das transaminases desses pacientes, particularmente durante tratamentos prolongados. Raros casos de icterícia e hepatite foram descritos com o uso de cetoprofeno.

Armazenagem

Bi-Profenid (cetoprofeno) deve ser armazenado dentro da embalagem original e em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC).

Dizeres legais

M.S. 1.1300.0271 Farm. Resp.: Antonia A. Oliveira CRF-SP nº 5854 Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda. Rua Conde Domingos Papais, 413 Suzano - São Paulo CEP 08613-010 C.N.P.J. 02.685.377/0008-23 Indústria Brasileira Marca Registrada

Data da bula

Sep 5 2008 12:00AM


Bulas
Principal