Ciproflox - Bula

Ciproflox



Laboratório

Hebron

Referência

Ciprofloxacino Comprimidos

Apresentação de Ciproflox

compr. rev. 250 e 500 miligramas caixa com 6 ou 14 un.

Contraindicações de Ciproflox

Hipersensibilidade à Ciprofloxacina ou aos derivados quinolônicos. Crianças, adolescentes, mulheres grávidas, ou em fase de amamentação, já que não há dados suficientes que assegurem o uso do medicamento neste grupo de pacientes; além disso, à luz de estudos com animais, não é de todo improvável que o medicamento possa causar lesões na cartilagem articular de indivíduos em fase de crescimento.

Reações adversas e efeitos colaterais de Ciproflox

Os seguintes efeitos colaterais foram observados: efeitos sobre o trato gastrointestinal: náuseas, diarréia, vômito, dispepsia, dor abdominal, flatulência, anorexia. Na eventualidade de diarréia grave e persistente, durante ou após o tratamento, deve-se consultar um médico, já que este sintoma pode ocultar doença intestinal grave (colite pseudomembranosa) que exija tratamento imediato. Em tais casos, a administração de Ciproflox deve ser interrompida, iniciando-se uma terapia adequada (p. ex.: vancomicina por via oral 4 x 250mg/dia). Medicamentos que inibem a peristalse são contraindicados. Efeitos sobre o sistema nervoso: tontura, cefaléia, cansaço, agitação, tremor. Muito raramente: insônia, paralgesia periférica, sudorese, desequilíbrio, convulsões, aumento da pressão intracraniana, ansiedade, pesadelos, confusão mental, depressões, alucinações. Em casos individuais: reações psicóticas (evoluindo até para um comportamento de auto-exposição a riscos). Em alguns casos, estas reações ocorreram logo após a primeira administração de Ciproflox. Em tais circunstâncias, a administração de Ciproflox deve ser suspensa, informando-se o médico imediatamente a respeito do incidente. Reações relativas aos órgãos sensoriais: muito raramente alteração do paladar, do olfato, distúrbios visuais (p. ex.: diplopia, visão colorida) zumbido, distúrbio temporário de audição, especialmente para altas frequências. Reações de hipersensiblidade: em alguns casos, as reações adversas ocorrem já a partir da primeira administração de Ciproflox, devendo-se, em tais situações, interromper a administração do medicamento e informar o médico imediatamente. Reações dermatológicas como: erupções cutâneas, prurido, febre medicamentosa. Muito raramente: hemorragias puntiformes na pele (petéquias) formação bolhosa acompanhada de hemorragia (bolhas hemorrágicas) e pequenos nódulos (pápulas) com a presença de crostas, evidenciando comprometimento vascular (vasculite). Eritema nodoso, eritema multiforme bolhoso (menor) síndrome de Stevens-Johnson, síndrome de Lyell, nefrite intersticial, hepatite, necrose hepática, evoluindo, muito raramente, para insuficiência hepática com risco de vida. Reações anafiláticas/anafilactóides (p. ex.: edema facial, vascular e laríngeo); dispnéia progressiva, chegando ao estado de choque (com risco de vida) em alguns casos, após a primeira administração. Em tais circunstâncias, a administração de Ciproflox deve ser interrompida, exigindo-se tratamento médico adequado. Efeitos sobre o sistema cardiovascular: taquicardia. Muito raramente: sensação de calor, enxaqueca, síncope. Outros efeitos colaterais: dor e edema da articulação. Muito raramente: sensação generalizada de fraqueza, dores musculares, tendosinovite, fotossensibilidade, distúrbio transitório da função renal, inclusive insuficiência renal transitória. Em alguns casos, durante a administração de Ciproflox predominantemente nos pacientes idosos em tratamento sistêmico anterior com glicocorticóides, observou-se aquilotendinite, que pode ocasionar a ruptura do tendão de Aquiles. Portanto, ao primeiro sinal de aquilotendinite, a administração de Ciproflox deve ser suspensa, sendo necessário consultar um médico. A administração de Ciproflox de forma repetida ou a longo prazo pode causar superinfecção com bactérias resistentes ou com fungos semelhantes às leveduras. Efeitos sobre o sangue e seus componentes: eosinofilia, leucocitopenia, granulocitopenia, anemia, trombocitopenia. Muito raramente: leucocitose, trombocitose, anemia hemolítica, alteração da protrombina. Influência sobre parâmetros laboratoriais/sedimento urinário: pode ocorrer aumento temporário das transaminases, da fosfatase alcalina ou icterícia colestática, principalmente em pacientes com doença hepática prévia. Aumento temporário da uréia, creatinina e bilirrubina séricas. Em casos individuais: hiperglicemia, cristalúria e hematúria. Reações locais: muito raramente: flebite. Outras informações: pode haver retardo na capacidade de reagir prontamente às situações, comprometendo a habilidade de dirigir ou operar máquinas, mesmo com a administração sendo feita corretamente, de acordo com a prescrição. Tal fato ocorre principalmente com a ingestão concomitante de álcool.

Ciproflox - Posologia

Administração por via oral. Salvo prescrição médica contrária, as seguintes doses são recomendadas: Infecções do trato respiratório - de acordo com a gravidade 2 x 250 miligramas a 500 miligramas Infecção do trato urinário - aguda, não-complicada 1 a 2 x 250 miligramas dose única 250 miligramas - cistite em mulheres antes da da menopausa complicada 2 x 250 a 500 miligramas Gonorréia - extragenital / aguda, não-complicada Dose única 250 miligramas Dose única 250 miligramas - Diarréia 1 a 2 x 500 miligramas - Outras Infecções 2 x 500 miligramas


Bulas
Principal