Clonotril - Bula

Clonotril



Laboratório

Torrent

Referência

Clonazepam

Apresentação de Clonotril

emb. com 20 comprimidos de 0,5 mg; embalagem com 20 comprimidos de 2 mg.

Contraindicações de Clonotril

Clonotril não pode ser administrado a pacientes com história de sensibilidade aos benzodiazepínicos, nem em pacientes com evidência significativa clínica ou bioquímica de doenças hepáticas. Pode ser usado em pacientes com glaucoma de ângulo aberto quando estão recebendo terapia apropriada, mas é contraindicado em glaucoma agudo de ângulo fechado.

Reações adversas e efeitos colaterais de Clonotril

Os efeitos colaterais que ocorreram com maior frequência com Clonotril são referentes à depressão do SNC. A experiência no tratamento de crises epilépticas demonstrou a ocorrência de sonolência em aproximadamente 50% dos pacientes e ataxia em aproximadamente 30%. Em alguns casos, esses sintomas e sinais podem diminuir com o tempo; foram observados problemas comportamentais em aproximadamente 25% dos pacientes. Outras reações, relacionadas por sistema são: Neurológico: Movimentos anormais dos olhos, afonia, movimentos coreiformes, coma, diplopia, disartria, disdiadococinesia, aparência de olho-vítreo-, enxaqueca, hemiparesia, hipotonia, nistagmo, depressão respiratória, fala mal articulada, tremor, vertigem. Psiquiátrico: Confusão, depressão, amnésia, alucinações, histeria, libido aumentada, insônia, psicose, tentativa de suicídio (os efeitos sobre o comportamento podem ocorrer com maior probabilidade em pacientes com história de distúrbios psiquiátricos). Respiratório: Congestão pulmonar, rinoréia, respiração ofegante, hipersecreção nas vias respiratórias superiores. Cardiovascular: Palpitações. derm.: Perda de cabelo, hirsutismo, erupção cutânea, edema facial e do tornozelo. Gastrintestinal: Anorexia, língua saburrosa, constipação, diarréia, boca seca, encoprese, gastrite, hepatomegalia, apetite aumentado, náusea, gengivas doloridas. Geniturinário: Disúria, enurese, noctúria, retenção urinária. Musculo esquelético: Fraqueza e dores musculares. Diversos: Desidratação, deterioração geral, febre, linfadenopatia, ganho ou perda de peso. Hematopoiético: Anemia, leucopenia, trombocitopenia, eosinofilia. Hepático: Elevações temporárias das transaminases séricas e da fosfatase alcalina.

Clonotril - Posologia

A dose do Clonotril deve ser individualmente determinada, de acordo com a resposta clínica e a tolerância de cada paciente. Como norma, Clonotril é administrado em baixa dose, como tratamento único em pacientes virgens de tratamento, não resistentes à terapêutica. Para evitar efeitos secundários no início do tratamento, é essencial aumentar a dose diária progressivamente, até atingir a dose individual de manutenção. Dose inicial: - Lactentes e crianças até 10 anos (ou com 30 kg de peso) é de 0,01 - 0,03 mg/ kg/dia. • Crianças acima de 10 anos (ou com mais de 30 kg) e Adultos, a dose inicial recomendada é de 1 - 2 mg/dia. Dose de manutenção: • Lactentes e crianças até 10 anos (ou com 30 kg de peso), 0,05 - 0,1 mg/kg/dia. • Crianças de 10 a 16 anos de idade (ou mais de 30 kg), 1,5-3 mg/dia. • Adultos, 2 - 4 mg/dia. Uma vez atingida a dose de manutenção, a dose total diária pode ser administrada em uma única tomada à noite. Caso sejam necessárias várias tomadas, a dose maior deve ser administrada à noite. A dose de manutenção ideal é atingida após uma a três semanas de tratamento. A dose terapêutica máxima é de 20 mg/dia. Instruções posológicas especiais: Clonotril pode ser usado concomitantemente com um ou vários antiepilépticos, devendo a dose de cada medicamento ser adaptada para se obter um efeito ótimo. Como ocorre com todas as drogas antiepilépticas, o tratamento com Clonotril não pode ser interrompido abruptamente; a dose deve ser reduzida gradualmente.


Bulas
Principal