Albumina Humana 20% - Bula

Albumina Humana 20%



Laboratório

Cristália

Apresentação de Albumina Humana 20%

Amp. com 10g em 50ml

Albumina Humana 20% - Indicações

É indicada nas síndromes aproteinêmicas e hipoproteinêmicas; nos estados de choque cirúrgico e traumático; no tratamento de edema cerebral; também na cirrose hepática e síndromes nefrotóxicas; nos casos de queimaduras; na hipoalbuminemia crônica; usada como coadjuvante em procedimentos de hemodiálise.

Contraindicações de Albumina Humana 20%

O produto é contraindicado em: - História de reações alérgicas aos preparados de Albumina Humana. - Reações alérgicas aos componentes da fórmula. -Todas as condições nas quais a hipervolemia e suas consequências (como pulsação, pressão sanguínea aumentadas) ou hemodiluição, podem representar um risco para o paciente. Exemplos dessas condições são: hipertensão; varizes esofagianas; edema pulmonar; diátese hemorrágica; anemia grave; anúria renal e pós-renal; desidratação (a não ser que haja infusão simultânea de fluídos).

Reações adversas e efeitos colaterais de Albumina Humana 20%

São raros os efeitos colaterais após a infusão de Albumina Humana. Reações leves como rubor, urticária, febre, náusea, normalmente desaparecem rapidamente quando a velocidade da infusão é diminuída ou quando a infusão é interrompida. Em casos isolados podem ocorrer reações de choque e a infusão deve ser interrompida e iniciar-se um tratamento apropriado. Quando há administração de produtos preparados de sangue ou plasma humano, não pode ser excluído o aparecimento de doenças infecciosas devido à transmissão de agentes infecciosos. Isto também se aplica aos patógenos de natureza até agora desconhecida. Para reduzir o risco de transmissão de agentes infecciosos, os doadores e doações devem ser devidamente triados. Cada unidade de plasma usado para a preparação deste derivado do sangue é controlada para certificar-se da ausência de HBsAg, de anticorpos de anti -HIV1, HIV2 e HCV, e também foi testada para ALT. Além disso, o processo produtivo inclui procedimentos de remoção e/ou inativação de vírus.

Albumina Humana 20% - Posologia

As necessidades posológicas são variáveis e devem ser individualizadas de acordo com a gravidade da doença e a resposta do paciente. Quando utilizada na terapia de reposição, a dosagem necessária é indicada pelos parâmetros circulatórios usuais. O menor limite para a pressão osmótica coloidal é de 20 mm Hg (2,7 kPa). Para administrar a Albumina Humana, a dosagem em gramas pode ser calculada pela fórmula: [ Proteínas totais necessárias (g/l) - Proteínas totais existentes (g/l)] x volume do plasma (l) x 2 O volume do plasma fisiológico pode ser calculado como aproximadamente 40 ml/kg do peso corporal. De qualquer forma, como a fórmula é aproximada, recomenda-se monitoramento laboratorial da concentração protéica recebida. Em caso de substituição extensa e em casos de hematócrito abaixo de 30%, seguir a orientação descrita em Precauções. A solução injetável de Albumina Humana 20% é apresentada pronta para uso e a administração deve ser unicamente por via intravenosa. A velocidade de infusão deve ser ajustada de acordo com as circunstâncias e indicações individuais, podendo ser de 1 a 2 ml/minuto. O tempo máximo de administração é de 3 horas. Durante plasmaférese a velocidade de infusão não deve exceder 30 ml/minuto. Se houver necessidade de administração de grandes volumes, o produto deve ser aquecido, antes do uso, para a temperatura corporal ou ambiente. Uso Pediátrico:- Deve ser levado em consideração que na criança o volume do plasma fisiológico é dependente da idade.

Albumina Humana 20% - Informações

A Albumina Humana 20% é uma solução aquosa de Albumina Humana com baixo teor salino, possuindo efeito hiperoncótico correspondente. É uma solução estéril de Albumina Humana purificada extraída do plasma humano por fracionamento pelo álcool, a frio, testada e considerada não reativa para o HBsAG e para o anti-HIV-AB. A Albumina Humana é responsável quantitativamente por mais da metade das proteínas plasmáticas e representa cerca de 10% da atividade de síntese do fígado. Pelo fato de não conter em sua composição anticorpos ou aglutininas, a sua utilização pode ser considerada universal, desde que o receptor não tenha de ser previamente submetido a qualquer determinação do grupo sanguíneo ou do Fator Rh. A transfusão de sangue total ou de um de seus componentes apresenta diversas desvantagens. Para a manutenção temporária do volume sanguíneo são suficientes os substitutos do plasma. A alta pressão colóide-osmótica da Albumina e a sua relativamente baixa viscosidade em solução, são características que justificam seu uso clínico. Dentro desta perspectiva, 50 mililitros de Albumina Humana 20% produzem os mesmos efeitos nos parâmetros hemodinâmicos que uma transfusão de aproximadamente 400 mililitros de sangue total. A função primária da Albumina é a de fornecer pressão osmótica coloidal dentro da circulação. A administração intravenosa resulta na introdução de fluído extravascular no sistema vascular.


Bulas
Principal