Dexacobal - União Quimica - Bula

Dexacobal - União Quimica



Dexacobal - União Quimica

Dexacobal

Cloridrato de tiamina - Cloridrato de piridoxina

Cianocovalamina - 21 - acetato de dexametasona

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

Solução injetável - Embalagem com 3 ampolas de 2 ml contendo vitaminas e 3 ampolas de 1 ml contendo a dexametasona.

USO adulto

COMPOSIÇÃO

Cada ampola de 2 ml (ampola II) contém:

Cloridrato de tiamina (Vitamina B1): 100 miligramas Cloridrato de tiamina (Vitamina B6): 100 miligramas Cianocobalamina (Vitamina B12): 5.000 mcg Cada ampola de 1 ml (ampola I) contém:

21 - acetato de dexametasona: 4 mg

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

Conserve o medicamento em lugar fresco, ao abrigo da luz.

Prazo de validade e lote vide cartucho.

Não uso qualquer medicamento após o vencimento do prazo de validade.

Informe seu médico a ocorrência de uma gravidez durante o tratamento.

Siga corretamente as indicações de seu médico. Não desaparecendo os sintomas ou no caso de aparecimento de reações diferentes ou desagradáveis consulte seu médico.

"TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS".

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

DEXACOBAL DEVE SOMENTE SER APLICADO POR VIA INTRAMUSCULAR.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

INDICAÇÕES

Quando a administração de tiamina (Vitamina B1), piridoxina (Vitamina B6) e cianocobalamina (Vitamina B12) for útil em associação com o efeito anti-inflamatório da ação glucocorticóide da dexametasona.

CONTRAINDICAÇÕES

a) Relativas ao uso da Dexametasona

INFECÇÕES SISTÊMICAS (VIRÓTICAS, BACTERIANAS E FÚNGICAS), DIABETES, ÚLCERA PÉPTICA, PSICOSES, PSICONEUROSES SEVERAS, FALÊNCIA RENAL AGUDA E CRÔNICA, OSTEOPOROSE, UREMIA, FALÊNCIA CARDÍACA, HIPERTENSÃO, GRAVIDEZ E LACTAÇÃO.

b) Relativas ao uso de vitaminas do complexo B

HIPERSENSIBILIDADE CONHECIDA AOS COMPONENTES, PRINCIPALMENTES À TIAMINA (VITAMINA B1), GRAVIDEZ E LACTAÇÃO.

PRECAUÇÕES

DEXACOBAL DEVE SER USADO SOMENTE POR VIA INTRAMUSCULAR.

A ADMINISTRAÇÃO CONCOMITANTE DE BARBITÚRICOS, FENILBUTAZONA, DEFENILHIDANTOÍNA OU RIFAMPICILINA PODE REDUZIR OS EFEITOS DO CORTICOSTERÓIDE.

A RESPOSTA A ANTICOAGULANTES PODE SER REDUZIDA PELO USO DE CORTICOSTERÓIDE.

PODEM OCORRER REAÇÕES ANAFILÁTICAS DEVIDAS À HIPERSENSIBILIDADE, PRINCIPALMENTE À TIAMINA (VITAMINA B1) (CHOQUE TIAMÍNICO) QUANDO ADMINISTRADA POR VIA PARENTERAL. OS EFEITOS DESEJADOS DA LEVODOPA SOBRE ADOENÇA DE PARKINSON PODEM SER REDUZIDOS PELO USO DA PIRIDOXINA (VITAMINA B6). O DIAGNÓSTICO CORRETO DEVE SER ESTABELECIDO ANTES DO INÍCIO DO TRATAMENTO, UMA VEZ QUE A CIANOCOBALAMINA (VITAMINA B12) PODE MASCARAR UM QUADRO DE ANEMIA PERNICIOSA.

REAÇÕES ADVERSAS

Dexametasona

RETENÇÃO DE SÓDIO E ÁGUA COM EDEMA E HIPERTENSÃO, ALCALOSE HIPOCALÊMICA, OSTEOPOROSE E FRATURAS ESPONTÂNEAS, DEPLEÇÃO DE NITROGÊNIO, HIPERGLICEMIA, AUMENTO DE APETITE, RETARDO DE CICATRIZAÇÃO, FACILIDADE À INFECÇÃO, "MOON- FACE", HIRSUTISMO, RUBOR, GIBA DE BÚFALO, ESTRIAS, ACNE, ÚLCERA PÉPTICA, DOR NO LOCAL DA INJEÇÃO.

Tiamina (Vitamina B1)

REAÇÕES TÓXICAS TÊM SIDO PRODUZIDAS POR INJEÇÕES DE 50 MG E "MORTE SÚBITA" TEM SIDO RELATADA EM SEGUIDA À INJEÇÃO INTRAVENOSA DE 100 MG DE TIAMINA, ALTAS DOSES TAMBÉM PODEM INTERFERIR COM O METABOLISMO DE OUTROS COMPONENTES VITAMÍNICOS DO COMPLEXO B E PODEM PRECIPITAR OS SINTOMAS DE OUTROS ESTADOS DE DEFICIÊNCIA EM PACIENTES MAL NUTRIDOS.

A TIAMINA INJETADA ISOLADAMENTE POR VIA INTRAVENOSA É CAPAZ DE INDUZIR REAÇÕES ALÉRGICAS. ESTE RISCO É NEGLIGENCIÁVEL SE A INJEÇÃO FOR DADA COM OUTRAS VITAMINAS DO COMPLEXO B, MESMO QUANDO DOSES TÃO ALTAS QUANTO 100 MG FOREM ADMINISTRADAS.

O RISCO DE CHOQUE ANAFILÁTICO AUMENTA COM A ADMINISTRAÇÃO REPETIDA PELA VIA PARENTERAL.

Piridoxina (Vitamina B6)

REDUZ OS EFEITOS DA LEVODOPA.

POSOLOGIA

Agitar a ampola de 1 ml e aspirar a mesma seringa o conteúdo de cada ampola, injetar unicamente por via intramuscular, uma vez ao dia ou a critério médico.


Bulas
Principal