DICORANTIL Injetavel 100 mg. - Bula

DICORANTIL Injetavel 100 mg.



DICORANTIL Injetavel 100 mg.

Composição

CADA AMPOLA CONTEM: DISOPIRAMIDA 100 MG. EXCIPIENTE Q.S.P. 10 ML.

Posologia e Administração

TRATAMENTO DE ATAQUE: INJECAO INTRAVENOSA DIRETA LENTA, NA DOSE DE 1,5 MG/KG (EM MEDIA, 100 MG), EM 10 MINUTOS, OU PERFUSAO LENTA IV DE 100 MG EM 1 HORA. TRATAMENTO DE MANUTENCAO: UTILIZAR UM DOS ESQUEMAS SEGUINTES: A. PERFUSAO IV LENTA, NA DOSE DE 25 MG/HORA; B. VIA ORAL (CAPSULAS DE 100 MG): APOS INJECAO UNICA IV: 200 MG EM UMA TOMADA, OU APOS PERFUSAO DE ATAQUE: 100 MG, UMA HORA ANTES DO FINAL DA PERFUSAO. SEGUINDO-SE A UM DOS ESQUEMAS ACIMA, 100 MG A CADA 4 HORAS, OU 200 MG A CADA 8 HORAS (NAO ULTRAPASSANDO A DOSE DE 800 MG/24 HORAS). O TRATAMENTO DE MANUTENCAO E INDISPENSAVEL PARA EVITAR RECAIDAS, E DEVE SER ADAPTADO EM FUNCAO DO RESULTADO TERAPEUTICO (EFICACIA-TOLERANCIA), COM CONTROLE BASEADO EM ECG E CONCENTRACAO PLASMATICA DA DISOPIRAMIDA. ADULTOS COM INSUFICIENCIA RENAL: TRATAMENTO DE ATAQUE: NAO SE LEVANDO EM CONTA O CLEARANCE DA CREATININA, O ESQUEMA TERAPEUTICO DE ATAQUE, PROPOSTO PARA AS ARRITMIAS VENTRICULARES OU SUPRAVENTRICULARES, PODE SER: 1 MG/KG EM PERFUSAO INTRAVENOSA, POR BOMBA DE INFUSAO, EM UMA HORA. TRATAMENTO DE MANUTENCAO: EM CASO DE INSUFICIENCIA RENAL, A POSOLOGIA DIARIA E A FREQUENCIA DE ADMINISTRACAO DEVEM SER DIMINUIDAS E ADAPTADAS EM FUNCAO DO CLEARANCE DA CREATININA. OS RESULTADOS TERAPEUTICOS (EFICACIA-TOLERANCIA) DEVERAO SER AJUSTADOS EM FUNCAO DOS DADOS DE ELETROCARDIOGRAMA E DAS CONCENTRACOES PLASMATICAS DO MEDICAMENTO. ADULTOS COM INSUFICIENCIA HEPATICA: EM CASO DE INSUFICIENCIA HEPATICA SEVERA, RECOMENDA-SE DIMINUIR A POSOLOGIA DIARIA DO PRODUTO EM CERCA DE 25%, DEVIDO AO AUMENTO DE MEIA-VIDA PLASMATICA. A FORMA DISOPIRAMIDA DE LIBERACAO PROLONGADA (DICORANTIL F) E CONTRAINDICADA EM PACIENTES COM INSUFICIENCIA HEPATICA. A FORMA DISOPIRAMIDA DE LIBERACAO PROLONGADA (DICORANTIL F) E CONTRAINDICADA NA CRIANCA.

Precauções

CARDIACAS: DEVIDO A SUA ACAO INOTROPICA NEGATIVA, A DISOPIRAMIDA NAO DEVE SER INGERIDA POR INDIVIDUOS COM INSUFICIENCIA CARDIACA, OU QUE TENHAM ANTECEDENTES DE INSUFICIENCIA CARDIACA, A NAO SER QUANDO JA EM TRATAMENTO ESPECIFICO, E SOB SUPERVISAO CUIDADOSA; A OCORRENCIA DE BLOQUEIO AURICULOVENTRICULAR OU DE BLOQUEIO DE RAMO BIFASCICULAR DURANTE O TRATAMENTO IMPOE A SUSPENSAO DESTE; E NECESSARIO VIGIAR O INTERVALO QT E O COMPLEXO QRS, NOS QUAIS UM ALONGAMENTO DE MAIS DE 25% IMPOE A SUSPENSAO DO TRATAMENTO; E NECESSARIO, COMO PARA TODO TRATAMENTO ANTIARRITMICO, VERIFICAR O POTASSIO SERICO E CORRIGI-LO, SE ESTIVER BAIXO. INSUFICIENCIA RENAL: A POSOLOGIA DO PRODUTO DEVE SER DIMINUIDA, BEM COMO O INTERVALO ENTRE AS DOSES (VER POSOLOGIA). INSUFICIENCIA HEPATICA: A POSOLOGIA DEVE SER DIMINUIDA (VER POSOLOGIA). EFEITOS ATROPINICOS: HA RISCO DE HIPERTENSAO OCULAR EM IDOSOS COM GLAUCOMA CRONICO DE ANGULO AGUDO, RETENCAO AGUDA DE URINA EM PACIENTES COM ADENOMA DE PROSTATA, AGRAVACAO DE MIASTENIA. HIPOGLICEMIA: NOS PACIENTES IDOSOS, DIABETICOS, OU COM INSUFICIENCIA RENAL, HA RISCO DE HIPOGLICEMIA, E ESTA DEVE SER CONTROLADA. DESEQUILIBRIO POTASSICO: OS ANTIARRITMICOS PODEM TORNAR-SE INEFICAZES NOS PACIENTES QUE APRESENTAM HIPOCALEMIA, E SEUS EFEITOS INDESEJAVEIS CARDIACOS PODEM SER FAVORECIDOS POR HIPER OU HIPOCALEMIA. AS ANORMALIDADES DO POTASSIO SERICO DEVEM SER PESQUISADAS, PRINCIPALMENTE QUANDO HA USO DE DIURETICOS HIPOCALEMIANTES OU LAXATIVOS ESTIMULANTES, E CORRIGIDAS, ANTES DE SE FAZER O TRATAMENTO PELA DISOPIRAMIDA. - GRAVIDEZ E LACTACAO: GRAVIDEZ: A DISOPIRAMIDA NAO DEVE SER UTILIZADA DURANTE A GESTACAO A NAO SER QUE O BENEFICIO ESPERADO PELA MAE JUSTIFIQUE O RISCO POTENCIAL PARA O FETO. ALEITAMENTO: A DISOPIRAMIDA PASSA AO LEITE HUMANO, APOS ADMINISTRACAO POR VIA ORAL. O RISCO DE EFEITOS INDESEJAVEIS NO RECEM-NASCIDO DEVE SER AVALIADO EM RELACAO AO BENEFICIO DE SE MANTER O TRATAMENTO. - INTERACOES MEDICAMENTOSAS: EM PRINCIPIO, DEVE-SE EVITAR A PRESCRICAO SIMULTANEA DE DISOPIRAMIDA COM OS SEGUINTES PRODUTOS: OU OUTROS ANTIARRITMICOS (EM FUNCAO DA CLASSIFICACAO DE VAUGHAN-WILLIAMS) DO GRUPO 1 (EM SEU CONJUNTO, BEM COMO A FENITOINA), GRUPO 2 (BETABLOQUEADORES), GRUPO 3 (AMIODARONA, BRETILIO) E GRUPO 4 (VERAPAMIL, BEPRIDIL, PRENILAMINA); FENOTIAZINAS; ANTICOLINERGICOS, QUE PODEM AUMENTAR OS EFEITOS ATROPINICOS DA DISOPIRAMIDA. - SUPERDOSAGEM: SUPERDOSAGEM TERAPEUTICA: ALGUNS PROBLEMAS ELETROCARDIOGRAFICOS PODEM OCORRER: ALONGAMENTO MARCADO DO QT, QUE PRENUNCIA OUTROS PROBLEMAS; ALARGAMENTO DO QRS; BLOQUEIOS AURICULOVENTRICULARES DE GRAU VARIAVEL. UMA DESSINCRONIZACAO VENTRICULAR PODE SE MANIFESTAR, EXCEPCIONALMENTE, POR TORSADES DE POINTES, COM SINCOPE E RECAIDAS. INTOXICACAO MACICA AGUDA: O QUADRO CLINICO COMPREENDE: COMA PROFUNDO COM MIDRIASE BILATERAL; QUEDA BRUSCA DE PRESSAO ARTERIAL; BLOQUEIO INTRAVENTRICULAR, COM POSSIBILIDADE DE PARADA CARDIACA; PROBLEMAS RESPIRATORIOS. O TRATAMENTO DEVE SER REALIZADO EM UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVO. OS DERIVADOS DA PROSTIGMINA PODEM SER UTILIZADOS, COMO ANTIDOTOS DE EFEITOS COLINERGICOS.

Reações Adversas

CARDIACAS (VER PRECAUCOES). E ADMITIDO QUE O PODER ARRITMOGENICO DA DISOPIRAMIDA E FRACO. NO ENTANTO, COMO OCORRE COM OS OUTROS ANTIARRITMICOS, PODE OCORRER AGRAVACAO OU APARICAO DE PROBLEMAS DE RITMO VENTRICULAR (TAQUICARDIA VENTRICULAR, FIBRILACAO VENTRICULAR, TORSADES DE POINTES). ESTES ACIDENTES SAO FAVORECIDOS POR HIPOCALEMIA OU ASSOCIACAO COM OUTROS ANTIARRITMICOS, CARDIOPATIA SEVERA, OU ALONGAMENTO DO ESPACO QT; PODEM OCORRER PROBLEMAS DE CONDUCAO CARDIACA, ALONGAMENTO DO INTERVALO QT, ALARGAMENTO DO QRS, BLOQUEIOS AURICULOVENTRICULARES BLOQUEIOS DE RAMO (VER PRECAUCOES); INSUFICIENCIA CARDIACA SEVERA AGUDA E ATE ESTADOS DE CHOQUE CARDIOGENICO TAMBEM FORAM DESCRITOS, PRINCIPALMENTE EM PACIENTES COM CARDIOPATIA SEVERA. O BAIXO DEBITO RESULTANTE PODE PROVOCAR UMA INSUFICIENCIA RENAL E(OU) INSUFICIENCIA HEPATICA AGUDA, SIMULANDO UMA HEPATITE AGUDA CITOLITICA; REACOES DE TIPO ATROPINICO, COMO DISURIA, RETENCAO AGUDA DE URINA (PRINCIPALMENTE EM PROSTATICOS), PROBLEMAS DE ACOMODACAO VISUAL E DIPLOPIA, SECURA DA BOCA, CONSTIPACAO E IMPOTENCIA, PODEM OCORRER; EPIGASTRALGIA; RARAMENTE: HIPOGLICEMIA, ICTERICIA COLESTATICA.

Contraindicações

BLOQUEIOS AURICULO-VENTRICULARES DE 2O OU 3O GRAUS, EM PACIENTES SEM MARCA-PASSO; BLOQUEIOS DE RAMO ASSOCIADOS A BLOQUEIO AURICULO-VENTRICULAR DE 1O GRAU; BLOQUEIO BIFASCICULAR (por exemplo: BLOQUEIO DE RAMO DIREITO + HEMIBLOQUEIO POSTERIOR ESQUERDO); ALONGAMENTO DO QT; DISFUNCAO SINUSAL GRAVE; INSUFICIENCIA CARDIACA NAO-CONTROLADA; ASSOCIACAO COM MEDICAMENTOS SUSCETIVEIS DE PROVOCAR PROBLEMAS DE RITMO VENTRICULAR, PARTICULARMENTE TORSADES DE POINTES.

Indicações

DICORANTIL INJETAVEL TEM SEU USO RESERVADO AOS SERVICOS DE CARDIOLOGIA DE URGENCIA (CENTRO DE REANIMACAO, DE CUIDADOS INTENSIVOS E GRANDES CIRURGIAS, PRINCIPALMENTE CARDIOVASCULARES), QUE DISPONHAM DE UMA EQUIPE CARDIOLOGICA E DE MATERIAL PARA REANIMACAO CARDIORRESPIRATORIA (MONITOR, DESFIBRILADOR). AS INDICACOES SAO: ARRITMIAS VENTRICULARES (EXTRA-SISTOLES VENTRICULARES, TAQUICARDIAS VENTRICULARES); EXTRA-SISTOLES SUPRA-VENTRICULARES; TAQUICARDIA JUNCIONAL.

Apresentação

CAIXAS COM 6 AMPOLAS DE 100 MG.


Bulas
Principal