Enfluthane - Bula

Enfluthane



Enfluthane

Indicação

Para quê serve Enfluthane?

Indução e manutenção de anestesia geral. Enfluthane pode ser usado para proporcionar analgesia para parto vaginal. Baixas concentrações de Enfluthane podem também ser utilizadas para suplementar outros agentes anestésicos durante intervenção cesariana. Concentrações mais altas podem produzir relaxamento uterino e aumento no sangramento uterino.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Distúrbios convulsivos; conhecida sensibilidade ao enflurano ou outros anestésicos halogenados; suscetibilidade genética à hipertermia maligna, conhecida ou suspeita.

Posologia

Como usar Enfluthane?

Deve ser conhecida a concentração de Enfluthane que está sendo liberada pelo vaporizador durante a anestesia. Isto pode ser feito através do uso de: vaporizadores calibrados especificamente para o enflurano; vaporizadores cujos fluxos liberados possam ser fácil e rapidamente calculados. Medicação pré-anestésica: a medicação pré-anestésica deve ser selecionada de acordo com as necessidades do paciente individualmente, levando-se em consideração que as secreções são pouco estimuladas pelo Enfluthane, e que o mesmo não altera a frequência cardíaca. O uso de drogas anticolinérgicas é uma questão de escolha. Indução: a indução pode ser alcançada através do uso de Enfluthane isoladamente com oxigênio ou em combinação com misturas de oxigênio-óxido nitroso. Sob essas condições, pode-se verificar certa excitação. Se a excitação não puder ser evitada, uma dose hipnótica de um barbitúrico de ação curta deve ser usada para induzir a inconsciência, seguida da mistura com Enfluthane. Em geral, concentrações inspiradas de 2,0% a 4,5% de Enfluthane produzem anestesia cirúrgica em 7 a 10 minutos. Manutenção: os níveis cirúrgicos de anestesia podem ser mantidos com 0,5% a 3,0% de Enfluthane. As concentrações de manutenção não devem exceder a 3,0%. Se for necessário relaxamento adicional, doses suplementares de bloqueadores neuromusculares podem ser usadas. Prefere-se a ventilação que mantenha a concentração de dióxido de carbono no sangue arterial na faixa de 35 a 45 mmHg. A hiperventilação deve ser evitada, a fim de se minimizar uma possível excitação do SNC. O nível de pressão arterial durante a manutenção é função inversa da concentração do Enfluthane na ausência de outros fatores complicadores. Decréscimos excessivos (a menos que relacionados à hipovolemia) podem ser ocasionados pela profundidade anestésica e, em tais circunstâncias, devem ser corrigidos por meio de uma superficialização da anestesia. Analgesia: o Enfluthane em concentrações de 0,25% a 1,0% proporciona analgesia para o parto vaginal igual àquela produzida pelo óxido nitroso a 30-60%. Essas concentrações normalmente não produzem amnésia. Cesariana: normalmente, o Enfluthane deve ser administrado em concentração na faixa de 0,5% a 1,0% para suplementar outros anestésicos gerais. Superdosagem: na ocorrência de superdosagem, ou o que possa se assemelhar a ela, as seguintes medidas devem ser tomadas: suspender a administração da droga, manter livres as vias respiratórias e iniciar ventilação assistida ou controlada com oxigênio puro. Promover e manter hemodinâmica adequada.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Hipertermia maligna: em indivíduos suscetíveis, a anestesia com Enfluthane pode desencadear um estado hipermetabólico dos músculos esqueléticos, levando a uma alta demanda de oxigênio e à síndrome conhecida como hipertermia maligna. A síndrome inclui características não específicas, tais como, rigidez muscular, taquicardia, taquipnéia, cianose, arritmias e pressão arterial instável. (Deve-se observar que muitos desses sinais não específicos podem aparecer com anestesia leve, hipoxia aguda etc. A síndrome de hipertermia maligna secundária ao Enfluthane parece ser rara). Um aumento no metabolismo global pode se refletir em temperatura elevada (que pode aumentar rapidamente no início ou no final do caso, mas que, geralmente, não é o primeiro sinal de metabolismo aumentado) e um aumento no uso do sistema de absorção de CO2 (caixa de absorção quente). A PaO2 e o pH podem diminuir, e podem aparecer hipercalemia e um déficit de base. O tratamento inclui descontinuação de agentes desencadeadores (por exemplo, Enfluthane), administração de dantrolene sódico intravenosamente e aplicação de tratamento de suporte. Tal tratamento inclui intensos esforços para restaurar a temperatura corpórea, suporte respiratório e circulatório conforme o indicado e controle de distúrbios do metabolismo acidobase e hidroeletrolítico. Insuficiência renal pode ocorrer posteriormente, e o fluxo urinário deve ser mantido, se possível. A hipertermia maligna pode também ocorrer com outros anestésicos inalatórios; entretanto, a incidência é consideravelmente mais baixa com o Enfluthane do que com o halotano. A atividade motora caracterizada por movimentos de vários grupos musculares e/ou crises convulsivas podem ser verificadas em níveis profundos de anestesia com Enfluthane ou níveis superficiais com hipocapnia. Hipotensão e depressão respiratória têm sido relatadas. O nível de anestesia pode ser modificado rapidamente através da alteração na concentração de Enfluthane inspirada. O Enfluthane reduz a ventilação, à medida em que a profundidade anestésica aumenta. Altos níveis de PaO2 podem ser obtidos em níveis mais profundos de anestesia, se não houver suporte ventilatório. O Enfluthane suscita uma resposta de suspiro semelhante àquela observada com o dietil éter. Ocorre um decréscimo na pressão arterial com a indução da anestesia, seguido de um retorno próximo ao normal com a estimulação cirúrgica. O aprofundamento do nível da anestesia leva a aumentos correspondentes na hipotensão. A frequência cardíaca permanece relativamente constante, sem bradicardia importante. A monitoração ou os registros eletrocardiográficos indicam que o ritmo cardíaco permanece estável. A elevação no nível de dióxido de carbono no sangue arterial não altera o ritmo cardíaco. Observaram-se arritmias, tremores, náuseas e vômitos. Elevação dos glóbulos brancos foi observada.

Composição

Enflurano 100% (não contém excipientes)

Apresentação

É um líquido volátil e incolor para inalação, apresentado em frascos de vidro âmbar com 100 e 250 mililitros

Laboratório

AstraZeneca do Brasil Ltda.

Rod. Raposo Tavares, km 26,9 - Cotia - SP - CEP 06707-000 CNPJ 60.318.797/0001-00 Indústria Brasileira SAC: 0800-014 55 78


Bulas
Principal