Farmicetina Xarope - Bula

Farmicetina Xarope



Laboratório

Pharmacia

Referência

Cloranfenicol Drágeas, Xarope e Injetável

Apresentação de Farmicetina Xarope

Xpe - embalagem com frasco de 100 mililitros Cada 5 ml contém : Palmitato de Cloranfenicol 217,8 mg (Equivalente a 125 miligramas de cloranfenicol)

Contraindicações de Farmicetina Xarope

FARMICETINA (palmitato de cloranfenicol) é contraindicado para indivíduos com antecedentes de hipersensibilidade ao medicamento. No período de gravidez (do início ao momento do parto). No recém-nascido, pela eventual possibilidade de síndrome cinzenta. Na mulher que amamenta, devido às possibilidades de efeitos tóxicos no lactente. Em crianças com idade inferior a 2 anos o cloranfenicol somente poderá ser administrado em casos de absoluta necessidade requerida pelo médico assistente.

Reações adversas e efeitos colaterais de Farmicetina Xarope

Durante o tratamento com cloranfenicol, podem surgir algumas das seguintes reações adversas: Alterações hematológicas: o cloranfenicol pode provocar depressão medular: foram descritos casos de trombocitopenia, agranulocitose, anemia hipoplástica ou aplástica; trata-se, geralmente, de manifestações relacionadas com a dose e reversíveis após a interrupção do tratamento; todavia, em raríssimos casos tais manifestações podem apresentar-se sem qualquer relação com a dose utilizada e ter caráter irreversível. Manifestações neurotóxicas: foram relatados raríssimos casos de neurite ótica ou periférica, geralmente após doses elevadas administradas durante longo tempo. Reações de hipersensibilidade: em alguns casos foram observados febre, erupções cutâneas, fenômenos anafiláticos e, durante o tratamento da febre tifóide, também reações tipo Herxheimer. Síndrome cinzenta: nos prematuros e nos recém-nascidos, tratados com doses relativamente elevadas, foi descrita esta síndrome que inicia com distensão abdominal e cianose pálida progressiva, e pode evoluir também com graves disfunções cardiocirculatórias e morte.

Farmicetina Xarope - Posologia

No adulto, iniciar o tratamento com 2 g diários (dose de ataque), reduzindo-se para 1 a 1,5 g diários, sempre em doses fracionadas, conforme o decurso da moléstia. Após a apirexia continuar o tratamento durante 4 a 15 dias conforme a doença em causa. No tifo, ter em conta o estado geral do paciente e em particular o de seu sistema cardiovascular. O intervalo entre cada dose não deve ser superior de 6 a 8 horas, devendo-se observar como média o intervalo de 3 a 8 horas entre as tomadas; isto para manter-se o nível sanguíneo ótimo do antibiótico. A dose para as crianças deve ser de 50 a 100 mg/kg de peso corpóreo; nunca ultrapassando a dose total dos adultos. Posologia superior a 2 g diários só deve ser empregada em casos particulares e exclusivamente a juízo clínico; em nenhum caso dever-se-á exceder a 3 g diários e por um período máximo de 2 a 3 dias. As doses antes referidas são as que evitam, salvo sensibilidade individual aumentada, os fenômenos secundários. Para facilidade de cálculos, temos : 2 g = 8 colheres de sobremesa = 16 colheres de chá 1,5 g = 6 colheres de sobremesa = 12 colheres de chá 1 g = 4 colheres de sobremesa = 8 colheres de chá 1 colher de chá = 125 miligramas de cloranfenicol No caso de aparecimento de efeitos colaterais, suspender imediatamente o medicamento e instalar tratamento adequado.


Bulas
Principal