Acetilcisteina - Bula

Acetilcisteina



Laboratório

Genérico

Apresentação de Acetilcisteina

Xpe 20 mg/mL. embalagem com um frasco com 100 mL ou 150 mL. Granulado 100, 200 ou 600 miligramas embalagem com 16 env. com 5 g.

Acetilcisteina - Indicações

- Tratamento preventivo e curativo de complicações resultantes do resfriado comum e da gripe, tais como rinofaringites, sinusites e otites catarrais. - Traqueítes, traqueobronquites, bronquites agudas, broncopneumonias, pneumonias e outros processos infecciosos do aparelho respiratório. - Bronquite crônica asmática ou tabágica. - Prevenção das exacerbações da bronquite crônica. - Prevenção e tratamento do enfisema pulmonar.

Contraindicações de Acetilcisteina

O USO DESTE MEDICAMENTO É CONTRAINDICADO EM CASO DE HIPERSENSIBILIDADE CONHECIDA A ACETILCISTEÍNA E/OU DEMAIS COMPONENTES DAS FORMULAÇÕES.

Reações adversas e efeitos colaterais de Acetilcisteina

A TOLERABILIDADE DA ACETILCISTEÍNA É MUITO BOA, SENDO PRATICAMENTE ISENTA DE EFEITOS COLATERAIS. SEU USO SISTÊMICO PODE DETERMINAR A OCORRÊNCIA DE EPIGASTRALGIA EM PACIENTES PREDISPOSTOS, UMA VEZ QUE, PELA SUA PRÓPRIA FARMACOLOGIA, O PRODUTO PROVOCA O AUMENTO DE FLUIDEZ DO MUCO GÁSTRICO PROTETOR.

Acetilcisteina - Posologia

XAROPE Crianças: - até 3 meses: 1 mL, 3 vezes ao dia; - de 3 a 6 meses: 2,5 mLg 2 vezes ao dia; - de 6 a 12 meses: 2,5 mL, 3 vezes ao dia; - de 1 a 4 anos: 5 mL, 2 a 3 vezes ao dia ou a critério médico; - acima de 4 anos: 5 mL, 3 vezes ao dia ou a critério médico. Adultos: - 10 mL de xarope a cada 8 horas. GRANULADO Granulado 100 mg: 1 envelope 2 a 4 vezes ao dia, conforme a idade. Dissolver o conteúdo de 1 envelope em meio copo com água. Granulado 200 mg: 1 envelope 2 a 3 vezes ao dia. Dissolver o conteúdo de 1 envelope em meio copo com água. Granulado 600 mg: 1 envelope ao dia, preferivelmente à noite, antes de deitar. Dissolver o conteúdo de 1 envelope em meio copo com água. A critério do médico, as doses acima podem ser aumentadas até o dobro.

Acetilcisteina - Informações

CARACTERÍSTICAS A ação mucolítica da ACETILCISTEÍNA, derivado do aminoácido natural cisteína, deve-se ao mecanismo de lise físico-química, atribuível à presença na molécula de um grupo sulfidrílico livre que interage com as ligações S-S das cadeias mucoprotéicas provocando a cisão destas e determinando, dessa maneira, uma diminuição da sua viscosidade. Farmacodinâmica Estudos in vivo e in vitro atestam que ACETILCISTEÍNA é capaz de proteger as células pulmonares contra o dano provocado por radicais livres oxidantes. A atividade de varredor de oxidantes- é exercida tanto diretamente como indiretamente, através da manutenção e/ou incremento dos níveis da glutationa, da qual a ACETILCISTEÍNA é precursora. O conjunto destas propriedades confere à ACETILCISTEÍNA a capacidade de agir positivamente sobre os estímulos tussígenos de tipo irritativo, sem interferir na tosse produtiva. Também foi documentado que a glutationa e seus precursores protegem da agressão oxidativa a função fagocitária de macrófagos e neutrófilos, bem como promovem a ativação, proliferação e diferenciação dos linfócitos T, o que leva a postular que um incremento dos níveis de glutationa possa desenvolver um importante papel nos mecanismos de defesa imunitária.


Bulas
Principal