GINO - CANESTEN - Bula

GINO - CANESTEN



GINO - CANESTEN

gino - canesten

Clotrimazol Uso adulto

Forma farmacêutica e apresentação

GINO-CANESTEN é apresentado em embalagem com 35 g de creme vaginal a 1% de clotrimazol, acompanhado de 6 aplicadores.

Composição

5 g de creme contêm 0,05 g de clotrimazol. Componentes inertes: álcool benzílico, álcool cetilestearílico, polissorbato, 2-octildodecanol e estearato de sorbitano.

Informações técnicas

Farmacodinâmica: O clotrimazol age sobre os fungos pela inibição da síntese de ergosterol, que ocasiona dano estrutural e funcional da membrana citoplasmática. O clotrimazol é um antimicótico de amplo espectro, incluindo dermatófitos, leveduras, fungos etc. Os valores de CIM destes tipos de fungos são < 0,062- 4 (-8) mg/ml de substrato. O modo de ação do clotrimazol é primariamente fungistático. A atividade in vitro está limitada à proliferação de elementos fúngicos. Os esporos são apenas levemente sensíveis. Além de sua ação antimicótica, o clotrimazol age sobre Trichomonas vaginalis, microrganismos Gram-positivos (estreptococos/estafilococos), e microrganismos Gram-negativos (Bacteroides/ Gardnerella vaginalis). O clotrimazol in vitro inibe a multiplicação de Corynebacteria e de cocos Gram-positivos, exceto o Enterococci, nas concentrações de 0,5-10 mg/ml de substrato, e tem ação tricomonicida com 100 mg/ml. São raras as variantes de resistência primária de fungos sensíveis; foram observados somente casos muito isolados de desenvolvimento de resistência secundária de fungos sensíveis sob condições terapêuticas. Farmacocinética: Estudos mostraram que, após aplicações dermatológica e vaginal, somente pequenas quantidades de clotrimazol (<2% e 3%-10% dose, respectivamente) foram absorvidas. O pico de concentração plasmática resultante do clotrimazol foi de < 10 ng/ ml, abaixo do limite de detecção, o que não levou a efeitos sistêmicos mensuráveis ou efeitos adversos.

Indicações

Infecções da região genital (vaginite) causadas por fungos (mais frequentemente Candida) e superinfecções causadas por bactérias sensíveis ao clotrimazol. Está indicado na leucorréia infecciosa causada por levedura, vaginite causada por fungo, geralmente levedura ou Trichomonas. Para se assegurar da erradicação quando se tratar da Trichomonas vaginalis, um tricomonicida oral deve ser adicionalmente prescrito. Nas infecções dos lábios vaginais e das áreas subjacentes, bem como na inflamação da glande e do prepúcio do parceiro sexual, causadas por fungo (vulvite e balanite por Candida), também está indicado.

Contra-Indicações

Hipersensibilidade ao clotrimazol ou ao álcool cetoestearílico (do creme). Primeiro trimestre de gravidez.

Precauções

Estudos experimentais e clínicos demonstraram não haver indícios de efeitos nocivos na mãe e na criança provocados pelo uso de GINO-CANESTEN durante a gravidez. Mas, nos 3 primeiros meses de gestação, GINO-CANESTEN não deve ser utilizado sem orientação médica. Uso em crianças menores de 12 anos, somente sob orientação médica. Durante o período de gestação o tratamento deve ser efetuado com GINO-CANESTEN. Comprimidos, uma vez que estes podem ser inseridos sem o uso de aplicador. GINO-CANESTEN Creme/Comprimidos vaginais pode reduzir e eficácia e a segurança dos produtos de látex e diafragmas. Pode haver redução da eficácia de espermicida vaginal como método de controle de natalidade. O efeito é temporário e ocorre somente durante o tratamento.

Interações medicamentosas

Não são conhecidas.

Reações adversas

Ocasionalmente podem ocorrer reações de pele como: ardência, sensação de picadas ou avermelhamento.

Posologia e modo de usar

Salvo outra orientação médica, recomenda-se a aplicação do conteúdo de um aplicador de creme vaginal (aproximadamente 5g), à noite por 6 dias sucessivos. GINO-CANESTEN Creme deve ser aplicado tão profundamente quanto possível no interior da vagina, à noite. A aplicação é melhor efetuada em decúbito dorsal com as pernas ligeiramente fletidas. Nos casos de vulvite e balanite por Candida, GINO-CANESTEN Creme deve ser aplicado em uma fina camada e friccionado sobre a área afetada (órgãos genitais externos ao ânus na mulher, glande e prepúcio no homem) 2 a 3 vezes ao dia. O período habitual de tratamento é de 1 e 2 semanas. O tratamento pode ser repetido se necessário. O tratamento durante o período menstrual deve ser efetuado somente se os sintomas clínicos forem pronunciados, e deve ser concluído antes do início da menstruação. Frequentemente as áreas vulvar e vaginal são acometidas simultaneamente; recomenda-se o tratamento concomitante.

Instruções de uso

Inserção do creme vaginal com aplicador. Puxe totalmente o êmbolo do aplicador. Abra o tubo de creme e adapte nele o aplicador, mantendo-o firmemente pressionado contra o tubo, na vertical, e transfira o seu conteúdo, apertando-o cuidadosamente. Introduza o aplicador na vagina tão profundamente quanto possível, de preferência deitada de costas, e esvazie seu conteúdo empurrando o êmbolo. Remova o aplicador.

Venda Sob Prescrição Médica.

BAYER S.A


Bulas
Principal