HALOG Pomada - Bula

HALOG Pomada



HALOG Pomada

Composição

cada grama de pomada contém, respectivamente:halcinonida 0,25 miligramas e halcinonida 1,0 miligramas Componentes inativos: óleo mineral pesado, gel de petrolato e polietileno, polietilenoglicol 400, polietilenoglicol 540, diestearato de polietilenoglicol 6000 e hidroxitolueno butilado.

Posologia e Administração

Halog 0,025% Pomada: aplicar uma camada fina à área afetada 2 a 3 vezes ao dia. Halog 0,1% Pomada: para terapia inicial, aplicar uma camada fina à área afetada 1 a 3 vezes ao dia. Para lesões psoriáticas severas, aplicar pelo menos 2 vezes ao dia. Para aquelas dermatoses, incluindo psoríase, que foram controladas com aplicação mais frequente, a administração 1 vez ao dia pode também ser usada como terapia de manutenção. Técnica do penso oclusivo: pensos oclusivos podem ser usados para o tratamento de psoríases ou condições recalcitrantes. Esfregar delicadamente uma pequena quantidade do produto na lesão até que ela desapareça. Reaplicar o produto, deixando uma leve camada sobre a lesão, cobrindo-a com um filme flexível não poroso e vedando as bordas. Se necessário, umidade adicional pode ser providenciada, cobrindo a lesão com um pano de algodão limpo e umedecido, antes que o filme não poroso seja aplicado ou umedecendo levemente a área afetada com água, antes de aplicar a medicação. A frequência de troca dos curativos é melhor determinada numa base individual. Pode ser conveniente aplicar o produto à noite sob penso oclusivo e remover o penso pela manhã (isto é, 12 horas de oclusão). Quando for utilizado o regime de oclusão de 12 horas noturna, deve-se aplicar produto adicional, sem oclusão durante o dia. A reaplicação é essencial a cada troca de curativo. Caso se desenvolva uma infecção, o uso de pensos oclusivos deverá ser descontinuado e instituída terapia antimicrobiana apropriada. Superdosagem: corticosteróides aplicados topicamente podem ser absorvidos em quantidades suficientes para produzir efeitos sistêmicos. Tratamento: não há antídoto específico disponível e o tratamento deve ser sintomático.

Precauções

geral: a absorção sistêmica de corticosteróides tópicos tem produzido supressão reversível do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), manifestações de síndrome de Cushing, hiperglicemia e glicosúria em alguns pacientes. Condições que aumentam a absorção sistêmica incluem a aplicação de esteróides mais potentes, uso sobre extensas áreas de superfície, uso prolongado e a adição de pensos oclusivos. Portanto, pacientes recebendo grande quantidade de qualquer esteróide tópico potente, aplicado a uma área de grande superfície ou sob penso oclusivo devem ser avaliados periodicamente, para evidência de supressão do eixo HPA, utilizando os testes do cortisol livre na urina e estimulação do ACTH e para a diminuição da homeostase térmica. Se ocorrer supressão do eixo HPA ou elevação da temperatura do corpo, uma tentativa deve ser feita para retirar a droga, para reduzir a frequência de aplicação, substituir por um esteróide menos potente ou usar aplicações sucessivas, quando for utilizada a técnica oclusiva. A recuperação da função do eixo HPA e homeostase térmica é geralmente imediata e completa após descontinuação da droga. Raras vezes podem ocorrer sinais e sintomas de dependência do esteróide, requerendo corticosteróides sistêmicos suplementares. Caso se desenvolva irritação cutânea, os corticosteróides tópicos devem ser descontinuados e instituída terapia apropriada. Ocasionalmente, um paciente pode desenvolver uma reação de sensibilidade a um determinado material do penso oclusivo ou adesivo e ser necessário substituir o material. Na presença de infecções dermatológicas, deve ser instituído o uso de uma terapia antiinfecciosa apropriada. Se uma resposta favorável não ocorrer prontamente, o corticosteróide deverá ser descontinuado até que a infecção seja adequadamente controlada. Essas preparações não são para uso oftálmico. Testes de laboratório: teste de cortisol livre na urina e teste de estimulação do ACTH podem ser úteis na avaliação da supressão do eixo HPA. - Gravidez: não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas sobre os efeitos teratogênicos de corticosteróides aplicados topicamente. Portanto, os corticosteróides tópicos devem ser usados durante a gravidez, apenas se o benefício justificar o risco potencial para o feto. Drogas dessa classe não devem ser extensivamente usadas em pacientes grávidas, em grandes quantidades ou por períodos prolongados de tempo. Lactantes: é desconhecido se a administração tópica de corticosteróides pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis no leite materno. Corticosteróides administrados sistêmicamente são eliminados no leite materno em quantidades que provavelmente não causem um efeito nocivo para o lactente. Todavia, deve-se ter cautela, quando corticosteróides tópicos são administrados a mães que amamentam. - Uso pediátrico: o uso desta medicação sobre grandes superfícies ou por períodos prolongados em pacientes pediátricos, pode resultar em absorção sistêmica, suficiente para produzir efeitos sistêmicos. Pacientes pediátricos podem demonstrar susceptibilidade maior à supressão do eixo HPA e síndrome de Cushing corticosteróide-tópico induzidos do que pacientes adultos, devido à maior proporção de área de superfície de pele sobre peso corporal. A supressão do eixo HPA, síndrome de Cushing e hipertensão intracraniana foram relatadas em crianças recebendo corticosteróides tópicos. A administração de corticosteróides tópicos a crianças deve ser limitada à quantidade mínima compatível com um regime terapêutico efetivo. Estes pacientes devem ser estritamente monitorados com relação aos sinais e sintomas dos efeitos sistêmicos.

Reações adversas

as seguintes reações adversas locais são raras vezes relatadas com corticosteróides tópicos, mas podem ocorrer com maior frequência com o uso de pensos oclusivos (as reações são listadas numa ordem decrescente aproximada de ocorrência): queimação, prurido, irritação, ressecamento, foliculite, hipertricose, erupções acneiformes, hipopigmentação, dermatite perioral, dermatite alérgica de contato, maceração da pele, infecção secundária, atrofia da pele, estrias e miliaria. Pacientes pediátricos: manifestações de supressão adrenal em crianças incluem retardamento do crescimento linear, demora de ganho de peso, níveis baixos de cortisol no plasma e ausência de resposta a estímulos de ACTH. Manifestações de hipertensão intracraniana incluem fontanelas protuberantes, dores de cabeça e papiledema bilateral.

Contra-Indicações

corticosteróides tópicos são contraindicados naqueles pacientes com história de hipersensibilidade a qualquer dos componentes das preparações.

Indicações

alívio das manifestações de inflamação e prurido de dermatoses corticosteróide-responsivas.

Apresentação

tubos de 30 g e tubos de 60 g.


Bulas
Principal