Hyperium 1 mg - Bula

Hyperium 1 mg



Hyperium 1 mg

Indicação

Para quê serve Hyperium 1 mg?

Hipertensão arterial.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Estados depressivos graves. Insuficiência renal grave (clearance da creatinina < 15 ml/min), por precaução, na ausência de estudos atualmente disponíveis. Cuidados a serem tomados: nunca interromper bruscamente o tratamento, e sim diminuir progressivamente a posologia.

Posologia

Como usar Hyperium 1 mg?

A posologia recomendada é de 1 comprimido de 1 mg por dia em uma única tomada pela manhã. No caso de resultados insatisfatórios após um mês de tratamento, a posologia poderá ser aumentada para 2 comprimidos por dia, em duas tomadas (1 comprimido pela manhã e outro à noite), nas principais refeições. Pela sua boa aceitabilidade clínica e biológica, Hyperium pode ser administrado no hipertenso idoso e no hipertenso diabético. No paciente portador de insuficiência renal, se o clearance da creatinina for superior a 15 ml/min, nenhuma modificação posológica é necessária, a princípio. O tratamento deve ser mantido indefinidamente.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Na dose de 1 mg em uma tomada diária, no decorrer dos estudos controlados, a incidência das reações adversas é comparável às observadas com o placebo. Na dose de 2 mg por dia, os estudos controlados comparativos versus clonidina na dose de 0,15 a 0,30 mg/dia ou alfametildopa na dose de 500 a 1000 mg/dia, demonstraram que a incidência das reações adversas foi significativamente inferior àquela observada com a clonidina ou com alfametildopa. As reações adversas são raras, benignas e transitórias nas doses terapêuticas: astenia, palpitações, insônia, sonolência, fadiga ao esforço, gastralgias, secura da boca, diarréia, erupção cutânea. Mais raramente pode-se observar: extremidades frias, hipotensão ortostática, distúrbios sexuais, ansiedade, síndrome depressiva, prurido, edemas, câimbras, náuseas, constipação, ondas de calor.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Como para todos os anti-hipertensivos, nos pacientes portadores de antecedentes vasculares recentes (AVC, infarto do miocárdio), a administração de Hyperium deverá ser feita com acompanhamento médico permanente. O uso de álcool durante o tratamento é desaconselhado. Na insuficiência renal, se o clearance da creatinina for superior a 15 ml/min, nenhuma modificação posológica se faz necessária. Na ausência de experiência documentada, não prescrever o produto para crianças. Gravidez: como para qualquer nova molécula, a administração de Hyperium deve ser evitada na gestação, embora nenhum efeito teratogênico ou embriotóxico tenha sido observado no curso das experimentações com animais. Amamentação: Hyperium é excretado no leite; portanto sua administração é desaconselhada durante o período de amamentação. Efeitos sobre a capacidade de conduzir veículos ou de utilizar máquinas: os estudos em duplo cego contra placebo não demonstraram qualquer efeito de Hyperium sobre a vigilância em doses terapêuticas (1 ou 2 tomadas diárias de 1 mg). No caso de ultrapassar estas doses ou de associação com medicamentos susceptíveis de diminuir a vigilância, é conveniente advertir os motoristas e os operadores de máquinas sobre a possibilidade de sonolência. - Interações medicamentosas: associações desaconselhadas: a associação aos IMAO é desaconselhada; a associação aos antidepressivos tricíclicos deve ser considerada com cautela, pois a atividade anti-hipertensiva de Hyperium poderá ser parcialmente antagonizada. Associações possíveis: a ausência de interação com outros medicamentos permite sua prescrição simultaneamente com antidiabéticos orais, insulina, hipouricemiantes, hipolipemiantes, digitálicos, antiarrítmicos, anticoagulantes, analgésicos, anti-inflamatórios, outros anti-hipertensivos (em particular os diuréticos e a diidralazina, mas também betabloqueadores, inibidores do cálcio, inibidores da enzima de conversão). Superdosagem: nenhum caso de superdosagem foi relatado até o momento. Os sintomas previstos para caso de superdosagem seriam hipotensão acentuada e distúrbios da vigilância. O tratamento preconizado, além da lavagem gástrica, seria com o auxílio dos simpaticomiméticos. Hyperium é fracamente dialisável.

Composição

Cada comprimido contém 1,544 mg dediidrogenofosfato de rilmenidina, quantidade correspondente a 1 mg de rilmenidina base, excipientes q.s.p.

Apresentação

Caixa com 30 comprimidos de 1 mg.

Laboratório

Servier do Brasil Ltda.


Bulas
Principal