Imunoparvum - Bula

Imunoparvum



Laboratório

Lafepe

Apresentação de Imunoparvum

Cada ampola contém: Propionibacterium acnes 4mg; Veículo q.s.p. 1 ou 2ml, respectivamente.

Imunoparvum - Indicações

O Imunoparvum não deve prescindir de prescrição e acompanhamento médico, estando indicado em pacientes portadores de deficiências imunológicas celular e humoral com amigdalites, faringites, erisipelas, piodermites e herpes simples. Atuando ainda nas alergias respiratórias e como coadjuvante na cobaltoterapia e quimioterapia, em pacientes portadores de neoplasias malignas.

Contraindicações de Imunoparvum

IO Imunoparvum não deve ser usado por pacientes hipersensíveis ao produto. Por precaução, fazer o teste intradérmico de sensibilidade com 0,1 mL do produto antes de usá-lo na dosagem terapêutica.

Reações adversas e efeitos colaterais de Imunoparvum

Se utilizado pela via intramuscular, os efeitos colaterais se limitam à dor local e raramente febre. Caso seja utilizada a via intravenosa, além de febre podem ocorrer calafrios, cefaléias, astenias e náuseas. Quando presentes, estes efeitos colaterais regridem em 48 horas.

Imunoparvum - Posologia

Aconselha-se o uso inicial do Imunoparvum na dose de 2 mg, via intramuscular profunda, uma vez por semana, de preferência na região glútea, podendo-se ainda fazer o rodízio entre os deltóides e glúteos. Preferencialmente, deve-se começar o tratamento com doses mais brandas (0,5 a 1mL), devido às prováveis reações individuais, em alguns pacientes; no entanto doses de até 2 mL (4 mg), a cada aplicação, é perfeitamente tolerável. O controle imunológico deve ser feito, principalmente testes cutâneos com PPD, tricofitina, candidina, varidase e DNCB, antes e após cada série de 5 aplicações. Após atingir níveis normais de reatividade cutânea, as aplicações do Imunoparvum poderão ser feitas com intervalos crescentes (15/15 dias). Este tratamento poderá ser prolongado indefinidamente a critério médico, sempre que os testes laboratoriais revelem deficiência imunológica. As aplicações intratumorais poderão ser feitas nas doses de 4 mg distribuídas em vários pontos do tumor. Crianças abaixo de 10 anos, tomarão preferencialmente a metade da dose (2 mg), ou a critério médico.

Imunoparvum - Informações

Nos últimos anos a ciência terapêutica vem investindo bastante na área de imunoestimulantes, que têm se mostrado bastante promissores para o tratamento isolado e/ou associado ao convencional, de pacientes imunodeprimidos. Semelhante ao BCG (Bacilo de Calmette-Guérin), que se utiliza de microrganismos vivos, o Imunoparvum é uma suspensão injetável de células inativadas de Propionibacterium acnes (denominado anteriormente de Corynebacterium parvum), o que lhe confere mais segurança em relação aos efeitos colaterais do que aquela. Após a primeira série de 5 aplicações semanais, o organismo deverá apresentar resposta imunológica comprovável, através de testes laboratoriais, de controles imunológicos cutâneos. Ação Farmacológica: No sistema Imunológico - O aumento da resposta imunológica ficou demonstrado através de vários ensaios pré-clínicos, assim como o aumento da atividade do Sistema Retículo Endotelial. Os macrófagos ativados pelo Imunoparvum mostraram, entre outras alterações, um aumento na capacidade bactericida. Desta forma, o pré-tratamento com o Imunoparvum, aumenta a resistência à infecções por B. abortus, B. pertussis, Salmonella S. enteriditis, S. aureus, Herpes virus hominis tipo2 e malária. Em animais de laboratório, a administração do Imunoparvum inibe o crescimento de tumores estabelecidos ou transplantados, evitando o desenvolvimento de metástases, provavelmente pelo aumento da fagocitose dos macrófagos. Os primeiros estudos com humanos foram feitos na França por Israel & Halpern, em 1972 e demonstraram aumento da sobrevivência de pacientes que usaram Imunoparvum, como coadjuvante na quimioterapia. Trabalhos posteriores têm demonstrado diminuição do tamanho tumoral, regressão completa de metástases cutâneas de melanoma, além de melhora clínica.


Bulas
Principal