Iskemil - Bula

Iskemil



Iskemil

Indicação

Para quê serve Iskemil?

Tratamento de moléstias cerebrovasculares crônicas (vertigem, distúrbio da memória, dificuldade de concentração, variação de humor); coadjuvante na hipertensão; síndrome de carência dopaminérgica; cefaléia; tratamento profilático da hemicrania; afecção vascular periférica.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Iskemil 6 mg é contraindicado em pacientes que apresentem hipersensibilidade a quaisquer dos componentes de sua fórmula ou a qualquer alcalóide do ergot. iskemil 6 mg é também contraindicado nos casos de psicoses agudas ou crônicas, independente da etiologia.

iskemil 6 mg não deve ser utilizado durante a gravidez e a lactação.

Posologia

Como usar Iskemil?

Tomar 1 cápsula a cada 24 horas ou a critério médico.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

• cardiovascular: bradicardia sinusal pode ocorrer e é resolvida com a interrupção do tratamento. casos de ergotismo e vasoespasmo foram descritos com o uso da diidroergocristina associada com heparina, por via subcutânea, na profilaxia pós-operatória de eventos tromboembólicos. pode causar hipotensão leve.

• endócrino-metabólico: pode induzir o aparecimento de porfiria.

• gastrintestinal: náuseas.

• respiratório: aumento da secreção nasal e congestão.

• pele: erupção cutânea de base alérgica.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Embora os estudos realizados não tenham evidenciado nenhum efeito teratogênico, desaconselha-se o uso de iskemil 6 mg durante a gravidez e lactação a não ser quando houver indicação absoluta do médico assistente. O tratamento com iskemil 6 mg em sintomas de causa desconhecida, deve ser precedido por extensa investigação diagnóstica.

Advertências:

A eficácia deste medicamento depende da capacidade funcional do paciente. Atenção diabéticos: contém açúcar.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Os sintomas mais comuns na superdosagem são secundários ao vasoespasmo arterial focal ou generalizado e à isquemia de órgãos. Um paciente com suspeita de intoxicação pelos alcalóides do ergot deve ser levado imediatamente para um hospital, para que sejam tomadas as medidas de suporte de vida. Lavagem gástrica e uso do carvão ativado podem ser úteis.O paciente deve ser monitorizado e receber o tratamento sintomático apropriado para cada condição clínica, como hipertensão, hipotensão, convulsões e insuficiência vascular periférica.

Composição

Cada cápsula gelatinosa com microgrânulos de liberação programada contém 6 mg de mesilato de diidroergocristina.

Apresentação

Cápsulas gelatinosas com microgrânulos de liberação programada em blíster de 20 USO ORAL USO ADULTO

Interações Medicamentosas

• Naratriptano, zolmitriptano e rizatriptano: co-administração de triptanos e alcalóides do ergot pode resultar em prolongamento das reações vasoespásticas e portanto, um mínimo de 24 horas devem separar a administração das 2 classes de drogas.

• Dopamina: a administração concomitante das 2 drogas pode ocasionar isquemia periférica e gangrena, conforme relato de um caso na literatura.

• Indinavir, efavirens, saquinavir e nelfinavir: a associação de antirretrovirais e mesilato de diidroergocristina pode ocasionar ergotismo, pois aumenta a concentração sérica do alcalóide do ergot.

Laboratório

Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.

Via Dutra, km 222,2 - Guarulhos - SP CNPJ 60.659.463/0001-91 - Indústria Brasileira


Bulas
Principal