Levovist - Bula

Levovist



Levovist

Indicação

Para quê serve Levovist?

Representação sonográfica Doppler uni e bidimensional do fluxo sanguíneo quando há intensidade de sinal Doppler insuficiente. Ecocardiografia de contraste modo B.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Galactosemia.

Posologia

Como usar Levovist?

Orientações para a escolha da dose: recomendam-se as seguintes doses: sonografia Doppler uni e bidimensional: sonografia Doppler vascular: adultos: no caso de sinais Doppler moderadamente bem detectáveis, mas diagnosticamente insatisfatórios: 10-16 ml da concentração de 200 mg/ml; no caso de sinais Doppler fracos, por exemplo, de vasos pequenos, fluxo sanguíneo baixo ou condições de exploração desfavoráveis: 5-10 mililitros da concentração de 300 mg/ml; no caso de sinais Doppler muito fracos ou não detectáveis: 5-8 ml da concentração de 400 mg/ml. Crianças: ú 1 mês: 0,5 ml da concentração de 200 mg/ml; 1 a 12 meses: 1-2 ml da concentração de 200 mg/ml; 1 a 5 anos: 2 ml da concentração de 200 mg/ml; 6 a 12 anos: 3-4 ml da concentração de 200 mg/ml; > 12 anos: 4-10 mililitros da concentração de 200 mg/ml. A injeção intravenosa deve ser feita sem interrupção (aproximadamente 1-2 ml/s) para obter efeitos homogêneos de realce no registro Doppler. Em casos especiais pode ser necessária outra injeção de Levovist, por exemplo, para examinar vários planos seccionais. Para obter realce mais intenso ou duração mais longa, a dose pode ser aumentada, especialmente por escolha de uma concentração mais elevada. O aumento de força de sinal geralmente perdura por 2 a 4 minutos. Dose máxima recomendada: 6 injeções da dose única. Ecocardiografia Doppler das câmaras cardíacas direita e esquerda. Adultos: 10-16 ml da concentração de 200 mg/ml. Em pacientes com sinais Doppler muito fracos ou não detectáveis e para esclarecimento de insuficiência mitral: 5-10 mililitros da concentração de 300 mg/ml; exame apenas das câmaras cardíacas direitas: 4-10 mililitros da concentração de 200 mg/ml. Crianças: ú 1 mês: 0,5 ml da concentração de 200 mg/ml; 1 a 12 meses: 1-2 ml da concentração de 200 mg/ml; 1 a 5 anos: 2 ml da concentração de 200 mg/ml; 6 a 12 anos: 3 ml da concentração de 200 mg/ml; > 12 anos: 3-4 ml da concentração de 200 mg/ml. A injeção intravenosa deve ser feita sem interrupção (aproximadamente 1-2 ml/s) para obter efeitos homogêneos de realce no registro Doppler. Em casos especiais pode ser necessária outra injeção de Levovist, por exemplo, para examinar vários planos seccionais. Para obter realce mais intenso ou duração mais longa, a dose pode ser aumentada, especialmente por escolha de uma concentração mais elevada. O aumento de força de sinal geralmente perdura por 1 a 2 minutos. Dose máxima recomendada: 6 injeções da dose única. Ecocardiografia de contraste modo B. Adultos: 10 mililitros da concentração de 300 mg/ml. Se as condições de condução de som forem desfavoráveis e para ecocardiografia de sobrecarga: 5-8 ml da concentração de 400 mg/ml. Exame apenas das câmaras cardíacas direitas: 4-10 mililitros da concentração de 300 mg/ml. Crianças: ú 1 mês: 0,5 ml da concentração de 200 mg/ml; 1 a 12 meses: 1-2 ml da concentração de 200 mg/ml; 1 a 5 anos: 2 ml da concentração 200 mg/ml; 6 a 12 anos: 3 ml da concentração de 300 mg/ml; > 12 anos: 3-4 ml da concentração de 300 mg/ml. A injeção intravenosa deve ser feita em bolo. Administração de 5 a 10 mililitros de soro fisiológico, em seguida, assegura a administração da dose total e pode, caso desejado (por exemplo, para avaliações quantitativas), melhorar a reprodutibilidade do contraste mensurável. Com a finalidade de facilitar a injeção de solução fisiológica sem demora, recomenda-se utilizar um dispositivo da conexão de 3 vias. Dose máxima recomendada: 6 injeções da dose única. Superdosagem: o risco de intoxicação acidental é extremamente baixo. Para sintomas de diurese osmótica: controlar os eletrólitos séricos e volumes intravasculares. Se necessário, iniciar terapia de substituição. Se houver sintomas de hipervolemia: administrar diuréticos (por exemplo, furosemida) por via intravenosa.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Podem ocorrer ocasionalmente, durante ou logo após a administração, dor passageira e sensação de calor ou frio no local da injeção. Em casos isolados, sensações de sabor, dispnéia, alterações de pressão arterial ou pulso, náusea e vômito, assim como cefaléia, tontura e manifestações cutâneas têm sido observados. A hiperosmolalidade de Levovist pode causar irritação transitória, não específica, do endotélio vascular. Injeção paravascular acidental pode causar dor e irritação tissular.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Em pacientes com insuficiência cardiovascular grave (por exemplo, NYA estágio IV), deve-se considerar cuidadosamente a carga osmótica total promovida pelas injeções de Levovist. Gestação e lactação: não existem quaisquer objeções médicas à administração intravenosa de Levovist com referência às substâncias contidas no produto. Mas, não existe nenhuma experiência com o uso de Levovist em gestação e lactação. Interações medicamentosas: não se conhece, até o momento, qualquer interação com outras substâncias ou outras formas de interação.

Composição

Cada g de grânulos contém 999 mg de D-galactosee 1 mg de ácido palmítico.

Apresentação

Cartucho com frasco-ampola contendo 2,5 g de grânulos, ampola com 20 mililitros de água para injeção, perfurador e seringa descartável. Cartucho com frasco-ampola contendo 4,0 g de grânulos, ampola com 20 mililitros de água para injeção, perfurador e seringa descartável.

Laboratório

Schering do Brasil


Bulas
Principal