Lisinovil - Bula

Lisinovil

Antihipertensivos



Lisinovil

Indicação

Para quê serve Lisinovil?

LISINOVIL é indicado para o tratamento da hipertensão essencial e renovascular. Pode ser usado como monoterapia ou associado a outras classes de agentes anti-hipertensivos. LISINOVIL também é indicado para o controle da insuficiência cardíaca congestiva, como tratamento adjuvante com diuréticos não poupadores de potássio e onde for apropriado o uso de digitálicos.

LISINOVIL é indicado para o tratamento de pacientes hemodinamicamente estáveis, que sofreram infarto agudo do miocárdio nas últimas 24 horas, para prevenir o desenvolvimento subsequente de disfunção do ventrículo esquerdo ou insuficiência cardíaca, além de melhorar a sobrevida. Os pacientes devem receber, apropriadamente, o tratamento padrão recomendado: trombolíticos, ácido acetilsalicílico e beta bloqueadores. LISINOVIL reduz a taxa de excreção urinária de albumina em pacientes diabéticos normotensos insulino-dependentes e em pacientes diabéticos hipertensos não insulino-dependentes, que apresentam nefropatia incipiente por microalbuminúria.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

LISINOVIL é contraindicado em casos de hipersensibilidade a quaisquer de seus componentes, em pacientes com história de edema angioneurótico relacionado ao tratamento prévio com inibidor da ECA e em pacientes com edema angioneurótico hereditário ou idiopático.

Posologia

Como usar Lisinovil?

Como a absorção de Lisinopril não é afetada por alimentos, os comprimidos podem ser administrados antes, durante ou após as refeições e devem ser administrados em dose única diária.

Hipertensão essencial: Em pacientes com hipertensão essencial, a dose inicial recomendada é de 10 mg/dia. A dose usual de manutenção é de 20 mg/dia. A dose máxima recomendada é de 40 mg/dia.

Pacientes tratados com diuréticos: Pode ocorrer hipotensão sintomática após o início da terapia com LISINOVIL. A terapêutica diurética deve ser descontinuada dois a três dias antes de iniciar a administração de LISINOVIL. Em pacientes hipertensos a terapia com LISINOVIL deve ser iniciada com a dose de 5 mg/dia.

Pacientes com insuficiência renal: A dose em pacientes com insuficiência renal deve ser baseada na depuração de creatinina. Depuração

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Neutropenia/Agranulocitose: Experiências pós-lançamento do produto revelaram raros casos de neutropenia e depressão da medula óssea na qual uma relação causal com LISINOVIL não pode ser excluída.

Hipotensão Sintomática: Hipotensão sintomática ocorreu raramente em pacientes com hipertensão não-complicada. Em pacientes hipertensos que estejam recebendo LISINOVIL há maior probabilidade de ocorrer hipotensão se o paciente foi depletado de volume. Foi observada hipotensão sintomática em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva, com ou sem insuficiência renal associada. Com o uso de LISINOVIL podem ocorrer decréscimos adicionais da pressão arterial sistêmica em alguns pacientes com insuficiência cardíaca congestiva que tenham pressão arterial normal ou baixa.

Hipotensão em Infarto Agudo do Miocárdio: O tratamento com LISINOVIL não deve ser iniciado para infarto agudo do miocárdio em pacientes sob risco de grave deterioração hemodinâmica após tratamento com um vasodilatador. Comprometimento da Função Renal: Em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva, a hipotensão que segue após o início da terapia com inibidores da ECA pode levar a algum comprometimento da função renal. Insuficiência renal aguda, normalmente, reversível foi observada nessa situação. Em alguns pacientes com estenose da artéria renal bilateral ou estenose da artéria renal de rim único que foram tratados com inibidores da ECA, observaram-se aumentos da uréia e creatinina sérica reversíveis com a interrupção da terapia.

Pacientes em Hemodiálise: Reações anafilactóides foram relatadas em pacientes que sofreram certos procedimentos de hemodiálise e tratados concomitantemente com um inibidor da ECA.

Hipersensibilidade/Edema Angioneurótico: Edema angioneurótico de face, extremidades, lábios, língua, glote e/ou laringe foram raramente relatado em pacientes tratados com inibidores da ECA. Quando existe envolvimento de língua, glote ou laringe a ponto de causar obstrução das vias aéreas deve ser administrada imediatamente terapia apropriada como a solução subcutânea de adrenalina e manutenção das vias desobstruídas.

Dessensibilização: Pacientes recebendo inibidores da ECA durante o tratamento de dessensibilização apresentaram reações anafilactóides. Nos mesmos pacientes estas reações foram evitadas com a descontinuação temporária dos inibidores da ECA, mas reaparecem com o reinício inadvertido da terapia.

Cirurgia/Anestesia: Em pacientes submetidos a grandes cirurgias, ou sob anestesia com agentes que produzam hipotensão, LISINOVIL pode bloquear a formação de angiotensina II secundária à liberação compensatória de renina.

Uso na gravidez: O uso de LISINOVIL durante a gravidez não é recomendado. Quando a gravidez for detectada LISINOVIL deve ser interrompido o mais rápido possível. Os inibidores da ECA podem causar morbidade e mortalidade fetal e neonatal quando administrados a gestantes durante o segundo e terceiro trimestres. Oligoidrâmnio materno representando diminuição da função renal fetal pode ocorrer e resultar em contratura dos membros, deformações craniofaciais e desenvolvimento de pulmão hipoplástico.

Apresentação

30 comprimidos 5 miligramas 30 comprimidos 10 miligramas 30 comprimidos 20 miligramas

Introdução

LISINOVIL Lisinopril N° Registro-MS: 1.0047.0326

Laboratório

HEXAL DO BRASIL Ltda.


Antihipertensivos
Bulas
Principal