Locorten - Bula

Locorten



Locorten

Indicação

Para quê serve Locorten?

Tratamento inicial de doenças inflamatórias da pele de tipo e localização variados, responsivas a corticosteróides, nas quais tenha ocorrido infecção secundária por microorganismos sensíveis à neomicina. Por exemplo: eczema seborréico; eczema de contato; dermatite atópica (em pacientes de todas as idades); neurodermatite localizada.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Afecções virais da pele (por exemplo: varicela, erupções cutâneas após vacinação, herpes simples, herpes- zóster), doenças micóticas da pele, sífilis, tuberculose cutânea, rosácea, dermatite peroral, acne vulgar, aplicação nos olhos, hipersensibilidade conhecida ao pivalato de flumetasona ou a corticosteróides em geral, hipersensibilidade conhecida à neomicina ou a outros antibióticos aminoglicosídeos, bem como aos outros componentes de Locorten com neomicina.

Posologia

Como usar Locorten?

Locorten com neomicina deve ser aplicado nas áreas afetadas, em forma de camada fina, 2 a 3 vezes ao dia, dependendo da severidade da doença. O produto pode ser aplicado com leve fricção. Não são necessários curativos protetores. Curativos oclusivos não devem ser utilizados na presença de infecção cutânea. Superdosagem: não há relatos até o momento.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Ocasionalmente, sinais de irritação no local de aplicação, tais como, sensação de queimação, prurido ou erupção cutânea. Em casos isolados, também, foi observada atrofia cutânea leve em decorrência do uso de pivalato de flumetasona. O tratamento deve ser descontinuado se surgir irritação severa ou sensibilização. Após aplicação tópica de neomicina, especialmente em amplas áreas da pele ou em casos onde a pele foi seriamente lesada, há relatos de que a absorção do fármaco causa efeitos sistêmicos indesejáveis, tais como, ototoxicidade e nefrotoxicidade. Outras reações adversas locais relatadas durante o tratamento tópico com glicocorticóides incluem, por exemplo, alergia de contato, mudanças na pigmentação da pele ou infecções secundárias. Os glicocorticóides podem também ocasionar estrias rubras de distensão, telangiectasia, púrpura ou acne esteróide, especialmente após aplicação por períodos prolongados de tempo, em áreas extensas e na forma de curativos oclusivos ou em áreas nas quais a pele é muito permeável (por exemplo: face e axilas).

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Nos casos excepcionais em que Locorten com neomicina é aplicado em grandes quantidades ou em extensas áreas da pele, o paciente deverá ser mantido sob supervisão médica regular. O tratamento em longo prazo, especialmente da pele do rosto, deve sempre ser evitado, não importando a idade do paciente. Se não houver melhora no decorrer de uma semana, a terapia deve ser descontinuada, sendo então aconselhável identificar os patógenos, instituindo-se o tratamento apropriado. A aplicação recorrente, o uso prolongado ou a aplicação em grandes áreas da pele, especialmente na pele severamente lesada, acarretam risco acentuado de sensibilização de contato à neomicina. Reações de hipersensibilidade em decorrência do uso de neomicina podem ser mascaradas pelo corticosteróide. Durante o uso prolongado há risco adicional de complicações infecciosas (indução de microorganismos resistentes, superinfecção, infecção micótica). De acordo com a experiência médica mais atualizada, não ocorre absorção demonstrável do pivalato de flumetasona através da pele; portanto, desde que o medicamento seja administrado conforme o que se recomenda, é improvável que ocorram efeitos sistêmicos indesejáveis, tais como, influência clinicamente relevante sobre a função adrenocortical. De acordo com princípios médicos básicos, entretanto, este risco deve ser sempre mantido em mente, particularmente ao se utilizar o medicamento em pediatria. Locorten com neomicina não é apropriado como monoterapia em doenças bacterianas primárias da pele. Locorten com neomicina não deve entrar em contato com a conjuntiva. Locorten com neomicina não deve ser usado no canal auditivo externo se o tímpano estiver perfurado. Gravidez e lactação: experimentos relevantes à avaliação da segurança dos corticosteróides conduzidos em animais, embora não tendo sido feitos especificamente com Locorten com neomicina, mostraram efeito teratogênico potencial e outras reações adversas no embrião e/ou no feto. Mas, não há relatos sobre reações adversas com Locorten com neomicina na gravidez humana. Ao se utilizar Locorten com neomicina durante a gravidez, a relação risco-benefício deverá ser cuidadosamente considerada, o que se aplica particularmente ao uso de Locorten com neomicina em grandes quantidades, em grandes áreas da pele ou por longos períodos de tempo. Não se sabe se as substâncias ativas de Locorten com neomicina e/ou seus metabólitos passam para o leite materno quando o medicamento é aplicado topicamente. Por razões de segurança, indica-se cuidado. - Interações medicamentosas: não são conhecidas até o momento.

Composição

As formas creme e pomada contém pivalato deflumetasona a 0,02% e sulfato de neomicina a 0,5%.

Apresentação

Creme e pomada em tubos com 15 g (peso líquido).

Laboratório

Novartis Biociências S.A.


Bulas
Principal