Lorsacor - Losartana Potássica - Bula

Lorsacor

Losartana Potássica

Antihipertensivos



Lorsacor

Indicação

Para quê serve Lorsacor?

LORSACOR está indicado para o tratamento da hipertensão e da insuficiência cardíaca, geralmente em combinação com diuréticos e digitálicos.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

O uso de losartana potássica é contraindicado em pacientes com antecedentes de hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula.

Posologia

Como usar Lorsacor?

Hipertensão: a dose usual de início e manutenção da terapia é de 50 miligramas uma vez ao Dia, para a maioria dos pacientes. o efeito anti-hipertensivo é obtido de 3 a 6 semanas após o início Da terapia. alguns pacientes podem obter benefício adicional se a dose for aumentada para 100 miligramas Uma vez ao dia. para pacientes com depleção do volume intravascular deve ser considerada uma Dose inicial de 25 miligramas uma vez ao dia. não há necessidade de ajuste posológico para pacientes Idosos ou para pacientes com disfunção renal, incluindo pacientes sob diálise. deve ser considerada A utilização de uma dose mais baixa para pacientes com história de disfunção hepática. losartana Pode ser administrada em associação com outros agentes anti-hipertensivos. insuficiência cardíaca:

A dose inicial do produto para pacientes com insuficiência cardíaca é de 12,5 miligramas uma vez ao dia.

Geralmente, a dose deve ser titulada em intervalos semanais até a dose usual de manutenção de 50 Mg uma vez ao dia, de acordo com a tolerabilidade do paciente. o produto pode ser administrado Com e sem alimentos.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Em pacientes que apresentaram depleção do volume intravascular pode ocorrer hipotensão sintomática. Estas condições devem ser corrigidas antes da administração de losartana ou deve-se utilizar uma dose inicial mais baixa. Houve aumentos significativos das concentrações plasmáticas de losartana em pacientes cirróticos, portanto, deve-se considerar a administração de doses mais baixas em pacientes com história de disfunção hepática. Como resultado da inibição do sistema renina-angiotensina, foram relatadas alterações na função renal em indivíduos suscetíveis. Outras drogas que afetam o sistema renina-angiotensina podem aumentar as taxas de uréia e creatinina em pacientes com estenose da artéria renal bilateral ou estenose da artéria de rim único. Foram relatados efeitos similares com losartana potássica. Essas alterações da função renal podem ser reversíveis com a descontinuação da terapia. Quando utilizadas durante o segundo e terceiro trimestres da gravidez, as drogas que atuam diretamente no sistema reninaangiotensina podem causar dano e até a morte do feto em desenvolvimento. Quando houver confirmação de gravidez a administração de losartana deve ser imediatamente suspensa. Nos estudos clínicos não houve diferença no perfil de segurança e de eficácia de losartana, relacionada a idade. Losartana potássica, em geral, é bem tolerada. Tontura foi o único efeito colateral relatado como relacionado à droga, que ocorreu com incidência superior a 1% dos pacientes tratados com losartana potássica. Ainda efeitos ortostáticos relacionados à dose foram observados em menos de 1% dos pacientes. Raramente foi relatada erupção cutânea. Foram relatados os seguintes efeitos colaterais após o início da comercialização do produto: hipersensibilidade e raramente angioedema, envolvendo inchaço da face, dos lábios e/ou da língua em pacientes tratados com losartana. Outras reações adversas: diarréia, anormalidades da função hepática, mialgia, enxaqueca, urticária e prurido.

Apresentação

14 comprimidos 50 miligramas 28 comprimidos 50 miligramas

Venda

Venda sob prescrição médica.

Introdução

LORSACOR LOSARTANA POTÁSSICA N° Registro-MS: 1.0047.0315

Laboratório

HEXAL DO BRASIL Ltda.


Antihipertensivos
Bulas
Principal