Naldecon Dor - Bula

Naldecon Dor



Laboratório

Bristol

Apresentação de Naldecon Dor

Cada comprimido de Naldecon Dor contém 400 miligramas de paracetamol. Uma dose = 2 comprimidos Naldecon Dor é apresentado em displays com 25 blísteres com 4 comprimidos cada.

Naldecon Dor - Indicações

Naldecon Dor é indicado como analgésico e antipirético. Para o alívio temporário de dores de cabeça, dores musculares, dores de dente, artralgia, e redução da febre.

Contraindicações de Naldecon Dor

Naldecon Dor não deve ser administrado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a algum dos componentes da fórmula. NALDECONDOR não deve ser utilizado em pacientes com insuficiência hepática grave ou doença ativa do fígado.

Advertências

Pacientes com diabetes e problemas hepáticos, deverão estar sob supervisão médica para fazer uso de Naldecon Dor. Este produto deve ser administrado com cautela em pacientes com função renal ou hepáticas comprometidas. O paracetamol deve ser utilizado com cuidado em casos de deficiência da glicose-6-fosfato desidrogenase (que pode levar à anemia hemolítica), alcoolismo crônico, anorexia, caquexia, má nutrição crônica (baixas reservas de glutationa hepática), desidratação e hipovolemia. Este produto não deve ser utilizado para dor por mais de 10 dias ou para febre por mais de 3 dias, a não ser a critério médico. Em caso de dor de dente o dentista deve ser consultado. Naldecon Dor não deve ser administrado juntamente com outros medicamentos que contenham paracetamol em sua formulação devido ao risco de toxicidade hepática.

Uso na gravidez de Naldecon Dor

Dados epidemiológicos com o uso de paracetamol em doses terapêuticas não indicam efeitos indesejáveis em mulheres grávidas ou sobre a saúde do feto em recém-nascidos. Estudos de reprodução com o paracetamol oral não mostram má-formação ou efeitos fetotóxicos. No entanto, Naldecon Dor deve ser utilizado durante a gravidez após uma cuidadosa análise de risco-benefício. Em pacientes grávidas, a posologia recomendada e duração do tratamento devem ser observadas. Após a administração oral, o paracetamol é excretado no leite materno em quantidades pequenas. Erupção cutânea foi relatada em lactentes. Contudo, o paracetamol é considerado compatível com a amamentação. Mas, cautela deve ser utilizada quando da administração do paracetamol a mulheres que estão amamentando.

Interações medicamentosas de Naldecon Dor

Devido à ação de potencialização de anticoagulantes cumarínicos, não deve ser usado concomitantemente a esses medicamentos. Deve ser usado com cautela em pacientes que fazem uso crônico de álcool, barbitúricos, antidepressivos tricíclicos e carbamazepina devido ao risco de sobrecarga metabólica ou possível agravamento de comprometimento hepático já existente. A administração concomitante de fenitoína com paracetamol pode diminuir a eficácia do paracetamol e aumentar o risco de hepatotoxicidade. A probenecida causa uma redução de duas vezes no clearance de paracetamol, portanto, uma redução da dose de paracetamol deve ser considerada quando da administração concomitante com probenecida. A salicilamida pode prolongar a meia vida de eliminação do paracetamol.

Reações adversas e efeitos colaterais de Naldecon Dor

Raramente se observam reações de hipersensibilidade, mas se isto ocorrer deve-se interromper a administração da droga. Também foram mencionados outros efeitos adversos como náusea, vômito, dor abdominal, hipotermia, vermelhidão, inchaço. Sob uso prolongado podem surgir discrasias sanguíneas. A literatura a respeito do paracetamol relata casos de trombocitopenia, pancitopenia, agranulocitose, anemia hemolítica e metahemoglobinemia, já tendo sido relatados casos de aplasia medular. O uso prolongado pode causar necrose papilar renal. Reações cutâneas também foram relatadas e incluem principalmente eritema e urticária.

Naldecon Dor - Posologia

Adultos: 2 comprimidos de 8 em 8 horas enquanto persistirem os sintomas ou a critério médico. Não ingerir mais de 10 comprimidos em 24 horas (4 gramas de paracetamol). Este produto não deve ser utilizado para dor por mais de 10 dias ou para febre por mais de 3 dias, a não ser a critério médico. Deve-se ter cuidado ao administrar o medicamento a pacientes com função hepática e renal comprometidas.

Superdosagem

No caso de superdose acidental, procure a assistência de um médico, mesmo não havendo qualquer sinal ou sintoma. Nos casos de ingestão excessiva de paracetamol, a partir de 7,5g ou 140 mg/ Kg, o paciente deve ser monitorizado até que o médico esteja certo de não haver hepatotoxicidade. Os sinais iniciais de superdose incluem: vômitos, náuseas, dor no quadrante superior do abdome, palidez cutânea. As evidências clínicas e laboratoriais da hepatotoxicidade podem não ser aparentes até 24 a 48 horas após a ingestão, portanto recomenda-se que o paciente fique em observação durante esse período. O tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível: o estômago deve ser esvaziado até 01 hora após a ingestão através de aspiração gástrica e lavagem. Recomenda-se também a administração de carvão ativado, pois paracetamol é bem adsorvido. A estimativa da quantidade ingerida, principalmente se fornecida pelo paciente, não é um dado confiável. Portanto, a determinação da concentração sérica de paracetamol deve ser obtida o mais rápido possível, mas não antes de 4 horas após a ingestão. Determinação da função hepática deve ser obtida inicialmente e a seguir a cada 24 horas durante 03 dias. O antídoto, N-acetilcisteína, deve ser administrado com urgência e dentro das 16 primeiras horas após a ingestão para se obter bons resultados. O seguinte esquema pode ser utilizado, usando N-acetilcisteína injetável: dose inicial de 150 mg/kg de peso, intravenosa por 15 minutos, seguida de infusão de 50 mg/kg de peso em 500 mililitros de dextrose 5% por 4 horas e a seguir 100 mg/kg de peso em 1 litro de dextrose 5% nas próximas 16 horas (totalizando 300 mg/kg de peso em 20 horas).

Naldecon Dor - Informações

O paracetamol é um analgésico que produz alívio rápido e eficaz da dor; age através da inibição da síntese de prostaglandinas. Sua eficácia como antipirético ocorre através de sua ação no centro hipotalâmico que regula a temperatura.


Bulas
Principal