Navelbine - Vinorelibina - Bula

Navelbine

Vinorelibina

Antineoplasicos



Navelbine

Indicação

Para quê serve Navelbine?

Carcinoma de pulmão não de pequenas células.

Carcinoma de mama.

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Após injeção intravenosa, a cinética plasmática de Vinorelbina é trifásica, a meia-vida média da fase terminal é de 40 horas. Vinorelbina apresenta captação tissular intensa e prolongada. A excreção fecal é preponderante, em razão da intensa eliminação biliar. Vinorelbina apresenta uma taxa de ligação às proteinas plasmáticas relativamente elevada (50% a 80%).

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Gravidez;

Aleitamento;

Insuticiencia hepática severa.

Posologia

Como usar Navelbine?

Navelbine deve ser administrado exclusivamente por via intravenosa.

Em monoterapia, a dose habitual é de 25 a 30 mg/m2, administrada uma vez por semana (e ajustada de acordo com a tolerabilidade hematológica);

Em poliquimioterapia, a dose e a frequência são definidas em função do protocolo a ser seguido.

OBS: A dose calculada deve ser diluída em solução fisiológica (125ml, por exemplo) e infundida em um período curto de tempo (15 a 20 minutos).

A administração deve ser seguida de lavagem abundante da veia por solução fisiológica.

No caso de ocorrer extravasamento de Navelbine no tecido adjacente à veia, é conveniente interromper a injeção e administrar o restante da dose em outra veia.

Em caso de contato acidental com os olhos, deve-se lavá-los imediata e abundantemente.

Após preparo, a solução (sozinha ou em diluição em soro fisiológico ou glicosado) pode ser conservada em frasco de vidro hermeticamente fechado por 24 horas, em temperatura ambiente.

Em pacientes com insuficiência hepática, a posologia deve ser reduzida.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Sistema Hematopodético: a toxicidade limitante é a granulocitopenia, anemia é frequente, mas de intensidade moderada;

Sistema Nervoso Periférico: abolição dos reflexos osteotendinosos; parestesias são pouco frequentes; após o tratamento prolongado, pode-se observar fatigabilidade dos membros;

Sistema Nervoso Vegetativo: a manifestação principal é a paresia intestinal, com consequente constipação; raros caves de íleo paralítico foram observados;

Aparelho digestivo: constipação; náuseas e vômitos (com incidência relativamente baixa);

Aparelho respiratório: dispnéia, broncoespasmo (estas reações podem ocorrer minutos depois da administração ou várias horas depois);

Outras:

alopécia (moderada ou progressiva);

dor na mandíbula;

reações no local da injeção, que podem chegar à necrose no caso de ocorrer extravasamento do produto durante a administração.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

O tratamento com Navelbine deve ser efetuado sob controle hematológico rigoroso (determinação da taxa de hemoglobina, do número de leucócitos e granulócitos antes de cada nova administração).

Em caso de granulopenia (< 2000/mm3), deve se adiar a injeção até a normalização e acompanhar o paciente cuidadosamente. Em caso de insuficiência hepática, é conveniente reduzir a posologia.

Na ausência de estudos específicos em insuficiência renal, recomenda-se, neste caso, prudência ao administrar se Navelbine.

Evitar qualquer contaminação acidental dos olhos, pois há o risco de irritação severa e mesmo ulceração da córnea se o produto é projetado sob pressão. Em caso de contato acidental com os olhos, deve-se lavá-los imediatamente e abundantemente.

Navelbine não deve ser administrado concomitantemente à radioterapia cujos campos incluam o fígado.

Navelbine deve ser administrado exclusivamente por via intravenosa. É extremamente importante assegurar-se que a agulha foi corretamente introduzida na veia antes de começar a injeção de Navelbine.

Se houver extravasamento de Navelbine no tecido adjacente à veia, ele pode provocar considerável irritação. Neste caso, é conveniente interromper a injeção e administrar o restante da dose em outra veia.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

A consequência maior de uma superdosagem é o aparecimento de granulocitopenia severa com risco de superinfecção, que pode comprometer o prognóstico do paciente.

Apresentação

Frasco-ampola com 1ml de solução, a 10mg/ml de ditartarato de vinorelbina.

Frasco-ampola com 5ml de solução, a 10mg/ml de ditartarato de vinorelbina.

Introdução

Ditartarato de vinorelbina

Informações ao Paciente

Navelbine é um medicamento que impede o crescimento de alguns tipos de células. Deve ser mantido sob refrigeração (4ºC) e ao abrigo da luz.

Seu prazo de validade é de 24 meses. Verifique sempre o prazo de validade dos medicamentos, pois a sua utilização com prazo vencido pode ser prejudicial à sua saúde.

Navelbine está contraindicado em gravidez , aleitamento e pacientes com insuficiência hepática grave. Ele deve somente ser administrado por via intravenosa e sob orientação médica. A fim de evitar-se eventuais interações entre vários medicamentos, é necessário descrever sistematicamente ao médico, outros tratamentos que estejam sendo feitos concomitantemente.

Durante o tratamento com Navelbine podem ocorrer alguns efeitos indesejáveis, tais como: diminuição do número de glóbulos brancos: abolição de reflexos; sensações anormais nos membros inferiores e, às vezes, nos superiores; fadiga após tratamento prolongado obstipação intestinal, náuseas e vômitos dificuldade respiratória, queda de cabelos e dor na mandíbula. Caso ocorra uma destas reações adversas ou outra qualquer, comunique imediatamente seu médico, que lhe dará a orientação adequada.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO.

PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAUDE.

Informações Técnicas

A vinorelbina, substancia ativa de Navelbine, é um antineoplásico citostático, da familia dos alcalóides da Vinca. O alvo molecular de sua atividade é o equilíbrio dinâmico tubulina/microtúbulo.

Vinorelbina inibe a polimerização da tubulina; age preferencialmente sobre os microtúbulos mitóticos e não afeta os microtúbulos axonais a não ser em altas concentrações. Seu poder espiralizante da tubulina é inferior ao da Vincristina.

Estas caracteristicas conferem a Vinorelbina a eficácia desejada, com menor toxicidade neurológica. Vinorelbina bloqueia a mitose em fase G2 + M e provoca a morte celular em interfase ou na mitose seguinte.

Laboratório

Asta Médica Ltda.

Rua Glicério, 497 Liberdade - Sao Paulo - SP CEP: 01.514-000 CNPJ: 71.524.631/0001-58 Telefones Tel: (11) 3209-1660


Antineoplasicos
Bulas
Principal