NEOCOPAN COMPOSTO - Bula

NEOCOPAN COMPOSTO



NEOCOPAN COMPOSTO

Composição

cada drágea contém: brometo den-butilescopolamina 10 mg; dipirona sódica 250 mg; excipiente q.s.p. 1 comprimido. Excipientes: celulose microcristalina, amido, manitol, dióxido de titânio, polivinilpirrolidona, estearato de magnésio, talco, sacarose, carbonato de cálcio, goma arábica, ceras de carnaúba, carbowax. Cada frasco contém: brometo de n-butilescopolamina 6,67 mg; dipirona sódica 333,4 mg; excipiente q.s.p. 1 ml. Excipientes: sorbitol, ciclamato de sódio, sacarina sódica, metabissulfito de sódio. Cada ampola contém: brometo de n-butilescopolamina 4 mg; dipirona sódica 500 mg; excipiente q.s.p. 1,0 mililitro Excipientes: ácido tartárico, E.D.T.A. 1,0 mililitro

Posologia e Administração

drágeas: nos espasmo do trato digestivo, nos espasmos e discinesias das vias urinárias, nos estados epigástricos dos órgãos genitais femininos e nas dismenorréias: 1 a 2 drágeas com um copo de água, deglutindo-se sem mastigar. Estas doses isoladas podem ser administradas 3 vezes ao dia, segundo as necessidades de cada caso, até conseguir o desaparecimento dos sintomas. Gotas: nos espasmos do trato digestivo e discinesias das vias biliares e das vias urinárias, nos estados espásticos dos órgãos genitais femininos, nas dismenorréias. Como analgésico e antipirético: adultos: 20-40 gotas 3 a 4 vezes ao dia. Crianças maiores: 10-15 gotas 3 a 4 vezes ao dia. Crianças de 1 a 6 anos: 5-10 gotas 3 a 4 vezes ao dia. Injetável: em casos de cólicas biliares, renais, etc., uma ampola de 5 ml preferencialmente em injeção intravenosa lenta (duração média de 3 minutos), eventualmente por via intramuscular profunda (intraglútea), porém nunca por via subcutânea. Observação: local da picada exclusivamente nos quadrantes das súpero-externos da região glútea. Direção da agulha: rigorosamente sagital ou na direção da região da crista ilíaca. Profundidade da picada: com agulha suficientemente para ter a certeza de atingir o interior do músculo. Superdosagem: por via parenteral, pode ocorrer choque anafilático. Nesse caso, recomenda-se a administração imediata, por via intravenosa de 75-100 miligramas de prednisolona, bem como de um tônico circulatório.

Precauções

o produto pode produzir, excepcionalmente, reações idiossincráticas caracterizadas por neutropenia e agranulocitose. Aconselha-se pois nos tratamentos prolongados, o controle sanguíneo (hemograma, série branca e vermelha). Muito raramente, por via parenteral, pode ocorrer choque anafilático. Neste caso, recomenda-se a administração imediata, por via intravenosa, de 75-100 miligramas de prednisolona, bem como de um tônico circulatório. O uso em pacientes idosos (acima de 65 anos) requer prescrição médica. - Interações medicamentosas: não deve ser utilizada simultaneamente com álcool. Se associada à clorpromazina pode provocar hipertemia grave.

Reações adversas

a escopolamina pode provocar sonolência, secura da boca, bradicardia transitória, fotofobia. Em pacientes sensíveis pode provocar reações de hipersensibilidade, com manifestações cutâneas do tipo alérgico. Sob uso prolongado podem surgir também discrasias sanguíneas: trombocitopenia, pancitopenia, agranulocitose, anemia hemolítica, tendo sido relatados casos de aplasia medular. Caso, durante o uso de dipirona, surjam manifestações cutâneas ou mucosas, principalmente na boca ou garganta, o tratamento deve ser suspenso. Pacientes com história de reação de hipersensibilidade a outras drogas ou substâncias, podem constituir um campo de maior risco pois podem apresentar efeitos colaterais intensos e até mesmo choques.

Contra-Indicações

pacientes com íleo paralítico ou estenose pilórica ou glaucoma de ângulo fechado são contraindicações devido à presença da escopolamina. Não deve ser usada a pacientes com intolerância conhecida aos diversos pirazolônicos, ou com doenças metabólicas como a porfiria ou deficiência congênita de glicose-6-fosfato desidrogenase. Não deve ser administrada em altas doses ou por longo tempo, sem controle médico. Absolutamente contraindicado nos 3 primeiros meses de gravidez e só deve ser administrada em casos de absoluta necessidade e sob controle médico, após este período. Não deve ser utilizada simultaneamente com álcool pois pode ocorrer interação das drogas. Se associada à clorpromazina pode provocar hipertemia grave.

Indicações

cólicas biliares, renais, dismenorréia, tenesmos, espasmos do trato gastrintestinal e do aparelho genital feminino.

Apresentação

drágeas: caixa com 20. Gotas: frasco com 15 ml. Injetáveis: caixa com 50 ampolas de 5 ml.

Laboratório

Lab. Ducto Ind. Farm. Ltda.

Rua VPR 3, Quadra 2-A, Mód. 20/21 Anápolis/GO - CEP: 75133-600 Tel: (62 )310-2500 Fax: (62 )800-2122 Ver outros medicamentos deste laboratório Pesquisar o preço deste medicamento.

Aviso legal


Bulas
Principal