Pentalac - Bula

Pentalac



Laboratório

Uci

Apresentação de Pentalac

Frasco com 120 mililitros (667 mg/ml)

Pentalac - Indicações

Pentalac é indicado na profilaxia e tratamento sintomático da constipação crônica. Na prevenção e tratamento da encefalopatia porto-sistêmica, incluindo os estágios de pré-coma e coma hepático.

Contraindicações de Pentalac

Em casos de intolerância a lactulose, galactose, lactose, frutose. Em pacientes com apendicite, hemorragia retal não diagnosticada ou com obstrução intestinal.

Reações adversas e efeitos colaterais de Pentalac

Pentalac é um medicamento bem tolerado, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais. Geralmente, os efeitos adversos são leves e transitórios não causando a suspensão da terapia. Ocasionalmente, podem ocorrer flatulência, meteorismo, cólicas gastrintestinais. O uso de doses elevadas de lactulose, como as utilizadas no tratamento da encefalopatia hepática, pode causar flatulência, meteorismo, distensão abdominal acompanhada de desconforto e espasmos abdominais, diarréia, náusea e vômito, hipocalemia, hipernatremia e exacerbação da encefalopatia hepática.

Pentalac - Posologia

A dose recomendada de Pentalac é a seguinte: Adultos e crianças acima de 12 anos. Constipação intestinal crônica: 15 a 30 mililitros ao dia. Encefalopatia hepática: Iniciar com 60 mililitros ao dia.Em casos graves podem ser administrados até 150 mililitros ao dia. Constipação intestinal crônica Crianças de 6 a 12 anos: 10 a 15 ml ao dia. Crianças de 1 a 5 anos: 5 a 10 mililitros ao dia. Crianças menores de 1 ano:5 ml ao dia. No tratamento da constipação a dose deve ser administrada, preferencialmente, em única tomada, podendo ser dividida em 2 vezes ao dia (a cada 12 horas). No tratamento da encefalopatia hepática, a dose total deve ser dividida e administrada em 3 a 4 vezes ao dia. A posologia de Pentalac recomendada pode ser ajustada conforme a necessidade e o desenvolvimento do quadro clínico de cada paciente. Nos casos de formação excessiva de gases ou ocorrência de diarréia, a dose de Pentalac deve ser reduzida. Não ocorrendo o amolecimento das fezes após 4 dias de tratamento, a dose de Pentalac deve ser aumentada. Geralmente, o amolecimento das fezes ocorre em 2 a 4 dias após o início do tratamento com Pentalac. Devido a lactulose não causar dependência ou efeitos adversos significativos, Pentalac pode ser utilizado por período prolongado. Pacientes diabéticos somente devem utilizar Pentalac com recomendação médica, pois o medicamento pode elevar a concentração de glicose sanguínea.

Pentalac - Informações

A lactulose é um dissacarídeo formado por uma molécula de galactose e uma de frutose. A lactulose apresenta ação laxante pela atividade osmótica. Após a administração oral, somente 3% da dose de lactulose é absorvida pelo intestino delgado. A lactulose é metabolizada no intestino delgado por bactérias, transformando o dissacarídeo em frutose e galactose e, posteriormente, em ácido lático e pequenas quantidades de ácido acético e fórmico. Estes metabólitos aumentam o poder osmótico da lactulose, com consequente acúmulo e penetração de líquido ao bolo fecal e o amolecimento das fezes. A redução do pH luminal, pelos ácidos orgânicos, estimula a motilidade e a secreção intestinal, facilitanto a eliminação das fezes. A lactulose absorvida não é metabolizada, sendo excretada pela urina em, aproximadamente, 24 horas. A lactulose é um laxante de ação fisiológica, portanto o seu uso pode ser necessário em quadros clínicos que necessitam a redução do esforço excessivo, como em pacientes com doença cardiovascular, hipertensos, com hemorróidas, no puerpério, após cirurgias do reto e ânus; ou quando a constipação se deve a alterações hormonais, como na gravidez ou durante o tratamento com determinados fármacos, como hipnoanalgésicos. A lactulose age de forma lenta e suave, por ser um regulador fisiológico da atividade intestinal, restabelecendo o movimento normal do intestino. Geralmente, a ação terapêutica ocorre em 2 a 3 dias após o início do tratamento. Devido o mecanismo de ação da lactulose ser fisiológico, não ocorre o desenvolvimento de dependência do organismo ao fármaco. Por isso, a lactulose pode ser utilizada em tratamento prolongado. A lactulose é utilizada no tratamento da encefalopatia hepática crônica, por diminuir a concentração sanguínea de amônia (NH3). A diminuição do pH colônico ocasiona a migração da amônia do sangue para o cólon, transformando-se no íon amônio (NH4+), o qual não é absorvido pelo intestino, sendo eliminado com as fezes. A redução da concentração sanguínea de amônia produz melhora no estado mental, no traçado eletroencefalográfico e a tolerância a proteínas nos pacientes com hipertensão porta e encefalopatia hepática associada à doença hepática crônica.


Bulas
Principal