Aramin - Metaraminol, Bitartarato - Bula

Aramin

Metaraminol, Bitartarato



Aramin

Indicação

Para quê serve Aramin?

O Aramin( está indicado para a prevenção e tratamento dos estados hipotensivos que ocorram associados à raquianestesia, no tratamento da hipotensão devida à hemorragia, reações medicamentosas, complicações cirúrgicas e choque associado com dano cerebral devido a trauma e tumor.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

O uso do Aramin( com ciclopropano ou halotano, deve ser evitado, a não ser que circunstâncias clínicas indiquem este uso.

Está também contraindicado a pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

Posologia

Como usar Aramin?

Aramin( (Bitartarato de Metaraminol) pode ser administrado por via intramuscular, subcutânea ou intravenosa, sendo que a via de administração depende da natureza e gravidade de cada caso.

Adultos:

Administração subcutânea ou intramuscular: A dose recomendada é de 2 a 10 miligramas (0,2 a 1 ml).

Administração através de infusão intravenosa: A dose recomendada é de 15 a 100 miligramas (1,5 a 10 ml) em 500 mililitros de Cloreto de sódio 0,9% ou Glicose 5%, ajustando a velocidade de infusão para manter a pressão no nível desejado. Têm sido utilizadas altas doses de Metaraminol de 150 a 500 miligramas em 500 mililitros de infusão.

Administração intravenosa direta: Em choque grave, quando o tempo é de grande importância, este agente deverá ser administrado diretamente. A dose sugerida é de 0,5 a 5 ml (0,05 a 0,5 ml) seguida de uma infusão de 15 a 100 miligramas (1,5 a 10 ml) em 500 mililitros de Cloreto de sódio 0,9% ou Glicose 5%.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

As aminas simpatomiméticas, incluindo o Metaraminol, podem causar taquicardia ventricular ou sinusoidal (sinus) ou outras arritmias, especialmente em pacientes com infarto do miocárdio. Em pacientes com histórico de malária podem provocar recidiva.

Formação de abcessos, necrose tissular ou mudança de pele, raramente podem acontecer.

Ao escolher o local da injeção, é importante evitar aquelas áreas inadequadas para uso de qualquer agente pressor e descontinuar a infusão imediatamente se ocorrer infiltração ou trombose.

As grandes veias da fossa antecubital ou da coxa, são preferidas às do dorso da mão e do tornozelo, particularmente em pacientes com desordens vasculares periféricas, diabetes mellitus, desordem de Buerger ou condições em que coexiste hipercoagulação.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

A superdosagem pode resultar em grave hipertensão acompanhada de cefaléia, sensação de constrição no peito, náusea, vômito, euforia, diaforese, edema pulmonar, taquicardia, bradicardia, sinus arritmia, arritmias atrial ou ventricular, hemorragia cerebral, infarto do miocárdio, parada cardíaca ou convulsão.

Na presença de uma elevação excessiva da pressão sanguínea, pode ser imediatamente aliviada por um agente simpatolítico como a fentolamina. um apropriado agente antiarrítmico pode também ser necessário.

A dl50 oral em rato e camundongo é 240 mg/kg e 99 mg/kg respectivamente.

Composição

Cada ml da Solução Injetável contém:

Bitartarato de Metaraminol (DCB 0809.02-0): 19 mg (Equivalente a 10 miligramas de Metaraminol) Veículo estéril qsp: 1,0 mililitro (Veículo: cloreto de sódio, metilparabeno, hidróxido de sódio, água para injetáveis)

Apresentação

Caixa contendo 50 ampolas com 1 ml

Interações Medicamentosas

O Metaraminol deve ser utilizado com cuidado em pacientes digitalizados, pois a combinação de digitálicos e aminas simpatomiméticas pode causar arritmias ectópicas.

Inibidores da monoaminoxidase ou antidepressivos tricíclicos podem potencializar a ação das aminas simpatomiméticas.

Portanto, quando a terapia pressora for associada em pacientes que receberão esta droga, a dose inicial deve ser baixa e administrada com cuidado.

Laboratório

Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda.


Bulas
Principal