Sporostatin - Griseofulvina - Bula

Sporostatin

Griseofulvina

Antimicoticos Sistemicos



Sporostatin

Indicação

Para quê serve Sporostatin?

SPOROSTATIN U/F comprimidos é indicado para o tratamento de infecções micóticas da pele, pelos e unhas, a saber: Tinea corporis, Tinea pedis, Tinea cruris, Tinea barbae, Tinea capitis, Tinea unguium (onicomicose), causadas por um ou mais dos seguintes gêneros de fungos: Trichophyton rubrum, Trichophyton tonsurans, Trichophyton mentagrophytes, Trichophyton interdigitale, Trichophyton verrucosum, Trichophyton megninii, Trichophyton gallinae, Trichophyton crateriforme, Trichophyton sulphureum, Trichophyton schoenleinii, Microsporum audouinii, Microsporum canis, Microsporum gypseum e Epidermophyton floccosum.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

SPOROSTATIN U/F comprimidos não é indicado para infecções leves que responderão a agentes tópicos isoladamente.

A griseofulvina é contraindicada para pacientes com porfiria, insuficiência hepato-celular e em indivíduos com histórico de hipersensibilidade ao produto, para mulheres grávidas ou com intenção de engravidar.

Posologia

Como usar Sporostatin?

Adultos Administração diária de 500 mg, como dose única ou em quantidades fracionadas, fornecerá uma resposta satisfatória para a maioria dos pacientes com Tinea corporis, Tinea cruris e Tinea capitis.

Para as infecções fúngicas de erradicação mais difícil, tais como Tinea pedis e Tinea unguium, recomenda-se uma dose diária de 1g.

Crianças A dose pediátrica eficaz é de 11 mg/kg/dia. Segundo esta base, recomenda-se o seguinte esquema posológico pediátrico.

Crianças com peso entre 14 e 23kg - 125 a 250 miligramas diários.

Crianças com peso acima de 23kg - 250 a 500 miligramas diários.

Não está estabelecida uma posologia para crianças até 2 anos.

A experiência clínica em crianças com Tinea capitis indica que uma única dose diária de griseofulvina é eficaz.

Duração do tratamento Em geral quatro semanas de tratamento são necessárias para infecções da pele ou couro cabeludo, e pelo menos quatro a seis meses para infecções das unhas dos dedos da mão e dos pés respectivamente. Recomenda-se continuar o tratamento por no mínimo duas semanas após o desaparecimento de todos os sinais de infecção. Se a administração do medicamento for interrompida antes da erradicação dos microorganismos infectantes, ocorreram recidivas.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Podem ocorrer efeitos colaterais de hipersensibilidade, tais como: rash cutâneo, urticária e, raramente, edema angioneurótico e necrose epidérmica (Síndrome de Lyell). Essas reações podem exigir a interrupção do tratamento, devendo-se tomar as medidas adequadas.

Em raras ocasiões após tratamentos prolongados tem-se comunicado parestesia das mãos e pés. Outros efeitos secundários comunicados ocasionalmente, incluem candídiase oral, náuseas, vômitos, transtornos epigástricos, diarréia, cefaléia, fadiga, tonteira, insônia, confusão mental e redução do desempenho em atividades rotineiras.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Recomenda-se avaliação periódica das funções orgânicas sistêmicas (renal, hepática e hematopoiética), especialmente em pacientes sob tratamento prolongado. Se ocorrer granulocitopenia, o tratamento deve ser suspenso.

Como a griseofulvina é derivada de uma espécie de Penicillium, existe a possibilidade de sensibilidade cruzada com a penicilina. Mas, pacientes comprovadamente sensíveis à penicilina têm sido tratados sem dificuldade com griseofulvina.

Reações de fotossensibilidade podem estar associadas ao tratamento com griseofulvina; os pacientes devem ser alertados para evitar exposição à luz solar natural ou artificial intensa.

Não estão estabelecidas a eficácia e segurança da griseofulvina como profilaxia de infecções micóticas.

Devido a indicações de que a griseofulvina tem demonstrado efeitos lesivos "in vitro" sobre os genomas de células bacterianas, vegetais, micóticas e células de mamíferos, os homens que completarem o tratamento, devem esperar um período de no mínimo seis meses para pensar em ter filhos. As mulheres devem evitar a gravidez enquanto estiverem recebendo o tratamento com griseofulvina.

Uso durante a gravidez A segurança da griseofulvina antes ou durante a gravidez não está estabelecida, não devendo assim ser usada por mulheres no período de gestação ou que estejam planejando gravidez. Raramente foram relatados nascimento de xifópagos em mulheres que utilizaram a griseofulvina no primeiro trimestre de gravidez.

Apresentação

USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

Estojo com 20 comprimidos sulcados, contendo 500 miligramas de microcristais de griseofulvina.

Interações Medicamentosas

A griseofulvina diminui a ação de anticoagulantes do tipo warfarínicos; o ajuste posológico do anticoagulante poderá ser necessário durante e após o tratamento com griseofulvina.

Barbituratos em geral suprimem a ação da griseofulvina; a administração concomitante poderá requerer ajuste posológico do agente anti-fúngico.

Os efeitos do álcool podem ser potencializados pela griseofulvina, produzindo taquicardia e rubor.

A griseofulvina pode potencializar um aumento das enzimas hepáticas, que metabolizam estrógenos a uma taxa maior que a normal, incluído o estrógeno dos contraceptivos orais, causando portanto, uma possível diminuição dos efeitos contraceptivos e irregularidade menstrual.

Introdução

SPOROSTATIN*

GRISEOFULVINA Comprimidos

Informações Técnicas

A griseofulvina é um agente fungistático com atividade "in vitro" contra várias espécies de Microsporum, Epidermophyton e Trichophyton.

A griseofulvina se deposita nas células precursoras da queratina e apresenta maior afinidade para tecidos patológicos do que tecidos normais. A droga liga-se firmemente a queratina nova, que se torna altamente resistente a invasão de fungos.

Informação ao Paciente

SPOROSTATIN U/F atua impedindo o crescimento do fungo, responsável pela infecção.

Manter em lugar fresco, seco e protegido da luz.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS.

NÃO TOME REMÉDIO SEM CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vingência do tratamento.

O prazo de validade encontra-se gravado na embalagem externa; Em caso de vencimento, inutilize o produto.

Siga corretamente as instruções do seu médico, quanto a utilização do medicamento.

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis como: dor de cabeça, vertigens, alterações menstruais, suor em abundância, urticárias, convulsões, retardo de cicatrização, fraqueza muscular, aumento da pressão arterial, depressão, irritabilidade e stress.

Dosagem e Administração

A identificação do microorganismo infectante deve ser realizada através de exame por microscopia direta ou cultura. A medicação deve ser prolongada até que o microorganismo infectante esteja totalmente erradicado. Períodos recomendados de tratamento para Tinea capitis são de 4 a 6 semanas; para Tinea corporis, 2 a 4 semanas; para Tinea pedis, 4 a 8 semanas; para a Tinea unguium, dependendo da velocidade de crescimento das unhas dos dedos da mão (pelo menos 4 meses) e unhas dos artelhos (pelo menos 6 meses).

Medidas higiênicas gerais devem ser observadas para controlar as fontes de infecção ou reinfecção. O uso concomitante de agentes tópicos adequados em geral é necessário, especialmente no caso de Tinea pedis. Leveduras e bactérias também podem ser os causadores de algumas formas de pé de atleta.

Laboratório

Ind. Quím. e Farm. Schering-Plough S.A.


Antimicoticos Sistemicos
Bulas
Principal