Astramorph - Sulfato de Morfina - Bula

Astramorph

Sulfato de Morfina

Analgesicos



Astramorph

Indicação

Para quê serve Astramorph?

Astramorph (sulfato de morfina) é um analgésico narcótico sistêmico para administração por via intravenosa, epidural ou intratecal.

É usado para o controle da dor refratária aos analgésicos não-narcóticos.

Sulfato de morfina, administrado epidural ou intratecalmente, fornece alívio da dor por períodos prolongados, sem ser acompanhado por perda das funções motoras, sensoriais ou simpáticas.

Posologia

Como usar Astramorph?

Astramorph (sulfato de morfina) é destinado para a administração intravenosa, epidural e intratecal.

Administração intravenosa:

A dose inicial de sulfato de morfina deve ser de 2 mg a 10 mg/70 kg de peso corpóreo.

Para pacientes com menos de 18 anos não há informações disponíveis.

Administração epidural:

Astramorph (sulfato de morfina) deve ser administrado por via epidural apenas por médicos com experiência nas técnicas de administração epidural e que estão totalmente familiarizados com a bula.

Deve ser administrado apenas em locais onde a monitorização adequada do paciente é possível.

Equipamentos de ressuscitação e um antagonista específico (cloridrato de naloxona) devem estar disponíveis para qualquer emergência, para o controle da depressão respiratória, assim como das complicações que podem resultar da injeção intravascular ou intratecal inadvertida.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

O efeito adverso mais grave é a depressão respiratória.

Devido à demora do efeito máximo no SNC com o fármaco administrado intravenosamente (30 minutos), a administração rápida pode resultar em superdosagem.

Administração em dose única pela via epidural ou intratecal pode resultar em depressão respiratória precoce, devido à redistribuição venosa direta da morfina para os centros respiratórios do cérebro.

O início tardio (até 24 horas) da depressão respiratória aguda foi relatado com administração pelas vias epidural ou intratecal e acredita-se ser resultado da difusão rostral.

Relatos de depressão respiratória após administração intratecal têm sido mais frequentes, mas a dose usada na maioria destes casos tem sido consideravelmente maior do que a recomendada.

Esta depressão pode ser severa, podendo ser necessário realizar uma intervenção (ver Advertências e Superdosagem).

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Astramorph (sulfato de morfina) é contraindicado naquelas condições clínicas que impedem a administração de opióides por via intravenosa alergia à morfina e outros opiáceos, bronquite asmática aguda, obstrução das vias aéreas superiores.

A administração de morfina pelas vias epidural ou intratecal é contraindicada na presença de infecção no local da injeção, terapia anticoagulante, diátese hemorrágica, administração parenteral de corticosteróides por um período anterior de 2 semanas ou outra terapia concomitante ou condição clínica que poderia contraindicar a técnica de analgesia epidural ou intratecal.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Pode causar dependência física ou psíquica.

A administração de Astramorph (sulfato de morfina) deve ser limitada a pessoas treinadas no controle de depressão respiratória, e no caso de administração epidural ou intratecal, por pessoas familiarizadas com estas técnicas e com o controle de complicações associadas com a administração epidural ou intratecal.

Devido ao fato de a administração epidural ter sido associada a um reduzido potencial de efeitos adversos imediatos ou retardados em relação à administração intratecal, a via epidural deve ser usada sempre que possível.

A administração intravenosa pode resultar em rigidez da parede torácica.

Os locais onde Astramorph (sulfato de morfina) for administrado devem ser equipados com equipamento de ressuscitação, oxigênio, naloxona injetável e outras drogas ressuscitadoras.

Quando as vias de administração epidural ou intratecal são empregadas, o paciente deve ficar sob observação em um local com pessoal técnico especializado e totalmente equipado, por, no mínimo, 24 horas.

Foi relatada depressão respiratória grave, até 24 horas, seguindo administração epidural ou intratecal.

Interações Medicamentosas Os efeitos depressores da morfina são potencializados pela presença de outros depressores do SNC ou pela administração concomitante com álcool, sedativos, anti-histamínicos ou outros psicotrópicos (por ex.: inibidores da MAO, fenotiazínicos, butirofenonas e antidepressivos tricíclicos).

Pré-medicação ou uso intra-anestésico de neurolépticos com morfina podem aumentar os riscos de depressão respiratória.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

A superdosagem é caracterizada pela depressão respiratória com ou sem depressão concomitante do SNC.

Desde que a parada respiratória pode resultar, tanto da depressão direta do centro respiratório, quanto da hipoxia, atenção primária deve ser dada para o estabelecimento da troca respiratória por meio de uma desobstrução das vias aéreas e instituição de ventilação assistida ou controlada.

O antagonista narcótico, cloridrato de naloxona, é o antídoto específico.

Cloridrato de naloxona deve ser administrado intravenosamente, simultaneamente com a ressuscitação respiratória.

Como a duração do efeito da naloxona é consideravelmente menor do que a da morfina epidural ou intratecal, administração repetida pode ser necessária.

Os pacientes devem ser atentamente observados quanto à evidência de renarcotização.

Composição

Cada mililitro contém:

Sulfato de morfina: 1 mg;

Excipientes: Cloreto de sódio, ácido clorídrico, água para injeção.

Apresentação:

Solução injetável, caixa com 10 ampolas de 2 ml.

Laboratório

Astra Química e Farmacêutica Ltda.


Analgesicos
Bulas
Principal