Temodal - Bula

Temodal



Temodal

Indicação

Para quê serve Temodal?

TEMODAL* está indicado no tratamento de pacientes com glioma maligno recidivante, como glioblastoma multiforme ou astrocitoma anaplásico.

TEMODAL* também é indicado no tratamento de pacientes com melanoma maligno metastático em estágio avançado.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

TEMODAL* está contraindicado em pacientes com histórico de hipersensibilidade a seus componentes ou a dacarbazina (DTIC).

TEMODAL* está contraindicado durante a gravidez (ver "Uso durante gravidez e lactação").

TEMODAL* é contraindicado para pacientes com mielossupressão grave.

Posologia

Como usar Temodal?

Pacientes adultos:

Em pacientes não tratados anteriormente com quimioterapia, TEMODAL* é administrado por via oral em dose de 200 mg/m 2 uma vez ao dia durante 5 dias, em ciclos de 28 dias. Para os pacientes anteriormente tratados com quimioterapia, a dose inicial é de 150 mg/m 2 uma vez ao dia, que é aumentada no segundo ciclo para 200 mg/m 2 diariamente, para proporcionar contagem absoluta de neutrófilos (CAN) maior ou igual a 1,5 x 10 9/L e a de plaquetas for maior ou igual a 100 x 10 9/L no dia 1 do ciclo seguinte.

Pacientes pediátricos:

Em pacientes de 3 anos de idade ou maiores, TEMODAL* é administrado por via oral na dose de 200 mg/m 2 uma vez ao dia durante 5 dias, em ciclos de 28 dias. Os pacientes pediátricos anteriormente tratados com quimioterapia devem receber uma dose inicial de 150 mg/m 2 uma vez por dia durante 5 dias, aumentando até 200 mg/m 2 uma vez ao dia no ciclo seguinte, se não for observada toxicidade hematológica.

O tratamento pode continuar até que ocorra progressão da doença por no máximo 2 anos.

TEMODAL* deve ser administrado em jejum ou pelo menos uma hora antes da refeição.

O tratamento antiemético pode ser administrado antes ou depois da administração de TEMODAL*. Caso venha a ocorrer vômitos após a administração, uma segunda dose deve ser administrada neste dia.

As cápsulas de TEMODAL* não devem ser abertas nem mastigadas, devendo ser deglutidas inteiras com um copo de água. Se a cápsula for danificada, evite o contato do pó com a pele ou membranas mucosas.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Em estudos clínicos, os efeitos indesejáveis que ocorreram com maior frequência foram distúrbios gastrintestinais, principalmente náuseas (43%) e vômitos (36%). Esses efeitos foram em geral considerados de grau 1 a 2 (leve a moderado) e tiveram resolução espontânea ou foram facilmente controlados com antieméticos de uso comum. A incidência de náuseas e vômitos graves foi de 4%.

Outras reações adversas relatadas com frequência incluíram fadiga (22%), constipação (17%) e cefaléia (14%). Também foram relatadas anorexia (11%), diarréia (8%), erupção cutânea, febre, astenia e sonolência (6% cada um). Menos frequentes (2% a 5%) e em ordem decrescente de frequência, foram relatados: dor abdominal, dor, tontura, perda de peso, dispnéia, alopecia, rigidez, prurido, mal-estar, dispepsia, alteração do paladar, parestesia e petéquias.

Resultados Laboratoriais:

Trombocitopenia e neutropenia de graus 3 ou 4 ocorreram em 19% e 17% dos pacientes tratados por glioma, respectivamente e em 20% e 22% dos pacientes tratados por melanoma metastático, respectivamente. Este fato causa hospitalização e/ou descontinuação de TEMODAL em 8% e 4% dos pacientes com glioma, respectivamente e em , 3% e 1,3% dos pacientes com melanoma, respectivamente. A mielossupressão foi previsível (normalmente dentro dos primeiros ciclos, com a concentração no nadir entre o 21º e 28º dia de tratamento), e a recuperação foi rápida, normalmente dentro de 1-2 semanas. Nenhuma evidência de mielossupressão acumulativa foi observada.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Pacientes que apresentam vômitos graves (de grau 3 ou 4) podem necessitar de terapia antiemética antes de iniciar o tratamento com TEMODAL*.

Parâmetros laboratoriais:

Antes da administração, devem-se satisfazer aos seguintes parâmetros laboratoriais: contagem absoluta de neutrófilos (CAN) > 1,5 x 10 9/L e plaquetas > 100 x 10 9/L. Deve-se realizar hemograma completo no dia 22 (21 dias depois da administração da primeira dose) ou dentro de 48 horas após os 21 dias e semanalmente até se obter uma CAN que tenha ultrapassado 1,5 x 10 9/L e uma contagem de plaquetas que exceda 100 x 10 9/L. Se o valor da CAN cair para menos de 1,0 x 10 9/L ou a contagem de plaquetas for < 50 x 10 9/L durante qualquer ciclo, o nível posológico deverá ser reduzido no ciclo seguinte. Os níveis posológicos incluem 100 mg/m 2, 150 mg/m 2 e 200 mg/m 2. A menor dose recomendada é de 100 mg/m 2.

Uso em pacientes com disfunção renal ou hepática:

A farmacocinética de temozolomida em pacientes com função hepática normal comparada com a de pacientes com disfunção hepática (leve a moderada) mostraram-se semelhantes.

Não há relatos de estudos de tratamento de TEMODAL* em pacientes com disfunção hepática grave (Classe 3 em crianças) ou com disfunção renal. Baseado nas propriedades farmacocinéticas da temozolomida, é desnecessária a redução da dose em pacientes com disfunção hepática grave ou renal. Porém, atenção especial deve ser tomada nestes casos.

Uso pediátrico:

Glioblastoma multiforme: Não se dispõe de experiência clínica com o uso de TEMODAL* em crianças menores de 3 anos de idade.

Há poucos estudos de Glioma em crianças acima de 3 anos de idade.

Melanoma: Não há experiência clínica em pacientes menores que 18 anos de idade.

Uso em Pacientes Idosos Em pacientes idosos (maiores que 70 anos de idade), o uso de TEMODAL parece aumentar o risco do surgimento de neutropenia e trombocitopenia, se comparado este risco com o uso em pacientes jovens.

Uso durante gravidez e lactação:

Não foram realizados estudos em mulheres grávidas. Em estudos pré-clínicos com ratas e coelhas que receberam 150 mg/m 2, demonstrou-se teratogenicidade e/ou toxicidade fetal. Portanto, TEMODAL* não deve ser normalmente administrado em mulheres grávidas. Caso o medicamento seja administrado em mulheres grávidas, estas devem ser conscientizadas do risco potencial ao feto. É importante aconselhar às mulheres com potencial de gravidez que evitem engravidar enquanto estiverem recebendo TEMODAL* e durante os seis meses seguintes à suspensão do tratamento. Não se sabe se TEMODAL* é excretado no leite humano, razão pela qual TEMODAL* não deve ser administrado em mães que estejam amamentando.

Os homens em tratamento com TEMODAL* devem sempre utilizar método contraceptivo eficaz.

Uso em homens:

Homens sob tratamento com TEMODAL*, devem ser alertados sobre os riscos em caso de gravidez de sua parceira. Devem sempre utilizar método contraceptivo eficaz, pois temozolomida pode causar efeitos genotóxicos. Portanto, homens sob tratamento com TEMODAL* devem ser conscientizados a não fecundarem durante e até 6 meses após a interrupção do tratamento, assim como obter maiores informações a respeito da crioconservação de esperma antes do início do tratamento devido à possibilidade de ocorrer infertilidade irreversível devido ao tratamento a base de temozolomida.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Se o paciente tiver tomado até 1.000 mg/m 2 na forma de uma dose única, deve-se observar apenas os efeitos previstos de neutropenia e trombocitopenia. Em caso de superdose, recomenda-se a avaliação hematológica e a instituição de medidas gerais de suporte de acordo com a necessidade.

Interações Medicamentosas

A administração de TEMODAL* com ranitidina ou junto com as refeições não causa alterações clinicamente significativas no grau de absorção da temozolomida. A administração concomitante de dexametasona, proclorperazina, fenitoína, carbamazepina, ondansetron, antagonistas de receptores H 2 ou fenobarbital não altera a depuração de TEMODAL*.

A administração concomitante com ácido valpróico está associada a uma redução pequena, mas estatisticamente significativa na depuração da temozolomida.

O uso de TEMODAL* em associação com outros agentes mielossupressores pode aumentar a probabilidade de ocorrência de mielossupressão.

Introdução

TEMODAL*

temozolomida cápsulas 5 mg, 20 mg, 100 miligramas ou 250 miligramas

Pacientes Idosos

Vide item "Precauções e advertências".

ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA, QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

Informação ao Paciente

Este produto deve ser mantido em sua embalagem original, em temperaturas entre 2 e 30 C.

O prazo de validade deste produto é de 24 meses e encontra-se gravado na embalagem externa. Em caso de vencimento, inutilize o produto.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Informe o seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como distúrbios gastrintestinais, principalmente náuseas e vômitos.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

TEMODAL deve ser administrado em jejum ou pelo menos uma hora antes da refeição.

TEMODAL está contraindicado em pacientes com histórico de hipersensibilidade a seus componentes ou à dacarbazina e durante a gravidez. Informe a seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Não deve ser utilizado durante a gravidez e a lactação.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

Informação Técnica

Descrição TEMODAL* é um agente alquilante imidazotetracênico, com atividade antitumoral, que sofre transformação química rápida na circulação sistêmica em pH fisiológico, formando o composto ativo MTIC (monometil-triaceno-imidazol-carboxamida). Considera-se que a citotoxicidade do MTIC deva-se principalmente à alquilação na posição O 6 da guanina, ocorrendo também alquilação adicional na posição N 7. Acredita-se que as lesões citotóxicas que se desenvolvem posteriormente impliquem em uma reparação anormal do adutor metílico.

Farmacologia clínica Os dados pré-clínicos sugerem que a temozolomida atravessa a barreira hematoencefálica e está presente no líquido cérebro-espinhal. Em pacientes adultos, TEMODAL* por via oral, é rapidamente absorvido, apresentando concentração máxima cerca de 20 minutos após a dose (tempo médio entre 30 e 90 minutos). A concentração plasmática aumenta de acordo com a dose. A depuração plasmática, o volume de distribuição e a meia-vida são independentes da dose. TEMODAL* demonstra baixa ligação protéica (10% a 20%) e, desse modo, não se espera que interaja com agentes altamente ligantes às proteínas plasmáticas. Após a administração oral da temozolomida marcada com C 14, a média fecal de C 14 após 7 dias foi de 0,8%, indicando absorção completa. Após 24 horas da administração oral, aproximadamente 5% a 10% da dose é encontrada inalterada na urina e o restante, excretado como AIC (4-amino 5-imidazol-cloridrato de carboxamida) ou metabólitos polares não identificados.

A análise da população baseada na farmacocinética de TEMODAL* revelou que sua concentração plasmática não é dependente de idade, função renal ou hábito de fumar.

Pacientes pediátricos tiveram maior área sob a curva (AUC) do que pacientes adultos. Mas, a dose máxima tolerada foi de 1.000 mg/m 2 por ciclo para ambos (crianças e adultos).

Apresentações/composições

Temodal* cápsulas 5 mg, 20 mg, 100 miligramas ou 250 miligramas é apresentado em frascos contendo 5 cápsulas.

Laboratório

Ind. Quím. e Farm. Schering-Plough S.A.


Bulas
Principal