Thiopentax - Bula

Thiopentax



Laboratório

Cristália

Apresentação de Thiopentax

Caixa com 25 fr.-ampola com 0,5 g caixa com 25 fr.-ampola com 1 g

Thiopentax - Indicações

Thiopentax é indicado para a produção de anestesia completa de curta duração ou para induzir anestesia geral. É também indicado como auxiliar em anestesia regional e no controle de convulsões. Hipnótico na anestesia equilibrada.

Contraindicações de Thiopentax

Contra-Indicações Absolutas: Hipersensibilidade aos barbitúricos, Porfiria latente ou manifesta. Contra-Indicações Relativas: Doença cardiovascular grave, Hipotensão ou choque, - Condições onde o efeito hipnótico pode ser prolongado, tais como: excesso de medicação pré-anestésica, doença de Addison, disfunção renal ou hepática, mixedema e asma. O critério definitivo para determinar se as condições do paciente ou a natureza da operação excluem o uso de tiopental em determinado caso, é estabelecido pela possibilidade do anestesista conseguir os efeitos desejados, sem ocorrência de anoxia, hipercapnia ou insuficiência circulatória.

Reações adversas e efeitos colaterais de Thiopentax

Incluem-se como reações adversas do tiopental: depressão respiratória, depressão do miocárdio, arritmia cardíaca, sonolência prolongada, espirros, broncoespasmo e laringoespasmo. Reações anafiláticas têm sido relatadas. Raramente tem sido relatada anemia hemolítica com falência renal. A exemplo dos derivados barbitúricos, somente as superdosagens provocam efeitos tóxicos, caracterizados pelas reações secundárias descritas no item anterior.

Thiopentax - Posologia

O produto deve ser administrado por via exclusivamente intravenosa. A dose máxima recomendada para maior segurança do paciente é de 1 grama de droga, ou seja, 20 mililitros de solução a 5% ou 40 mililitros de solução a 2,5%, aplicada intermitentemente, de acordo com a necessidade e a resposta do paciente. PREPARAÇÃO PRÉ-OPERATÓRIA: Medicação pré-anestésica: - É aconselhável a administração de um derivado de beladona, sempre que se pretende a indução de anestesia geral com tiopental, a fim de diminuir o risco de laringismo pela inibição de salivação e da alteração da sensibilidade laríngea. Se houver conveniência na administração de um barbiturato ou um opiáceo (ou ambos), como medicação pré-anestésica, é importante administrá-los oportunamente, para que os efeitos máximos se produzam antes da indução. Material de reanimação: - O perigo primordial de uma inadvertida superdosagem de tiopental é a depressão respiratória, que não deve deixar sequelas quando se evita a hipoxemia. Por esse motivo, é essencial, ao se administrar Thiopentax, observar todas as precauções necessárias para assegurar boa oxigenação, durante e depois da indução. É obrigatório ter disponível aparelho completo de suporte da ventilação pulmonar, com fontes de oxigênio e material de intubação traqueal, além de aspirador para limpeza das vias aéreas. Drogas de ação cardiovascular e desfibrilador elétrico devem estar disponíveis no ambiente cirúrgico. CUIDADOS DURANTE A ANESTESIA: Proteção das vias aéreas: - Os efeitos produzidos pelo tiopentaL exigem atenção especial tão estrita para as vias aéreas quanto a requerida quando se utiliza um agente de inalação. É de importância primordial estar seguro de que o acesso às vias aéreas não será interrompido durante o período de inconsciência. Respiração: - A amplitude dos movimentos respiratórios é considerada como sinal que guarda maior paralelismo com a profundidade da anestesia pelo tiopental. Mas, deve-se levar em consideração outras possíveis causas que alteram a respiração. Reação muscular: - Quando a dose de tiopental for hipnótica, diante de estimulação cirúrgica pode ocorrer reação muscular que somente cederá com o aprofundamento da anestesia. Respostas ao estímulo cirúrgico: - Acredita-se, em geral, que os resultados são mais satisfatórios quando o paciente, sob a ação de tiopental, possa ser mantido em nível tal que não iniba, completamente, as resposta aos estímulos mais intensos, em certos períodos da cirurgia. Mas, se pela natureza do procedimento forem indesejáveis movimentos do paciente, os mesmos poderão ser abolidos com progressivo aumento das doses de tiopental, (lentamente para prevenir a depressão respiratória) e permitindo um curto intervalo de tempo, antes de submeter o paciente a um estímulo doloroso intenso. Um princípio importante: - Se não for possível controlar o paciente com doses moderadas de tiopental deve-se administrar um agente anestésico suplementar, ou recorrer a outra técnica de anestesia. Insistir com tiopental em tais casos, pode conduzir a uma recuperação indevidamente prolongada ou a complicações evitáveis.


Bulas
Principal