TRACTOTILE - Bula

TRACTOTILE



TRACTOTILE

Tractocile (Ferring)

Bula do Profissional de Saúde

PRINCÍPIO ATIVO

Atosibano

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Laboratórios Ferring LTDA Tractocile Acetato de Atosibano

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES

USO ADULTO Vias de administração: Intravenosa Solução injetável, em frasco com 0,9 mL de solução;

Solução para infusão, em frasco com 5,0mL de solução Cada frasco de solução de Tractocile contém 7,5mg/mL de atosibano base livre, em forma de acetato de atosibano.

Composição:

Cada mL de Tractocile - solução injetável e de Tractocile - solução concentrada para infusão contém:

Atosibano.....7,5mg Manitol.....50 miligramas Ácido Clorídrico 1N qsp.....pH4,5 Água para injetáveis USP qsp.....1,0mL

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

Tractocile contém atosibano, um peptídio sintético, que é um antagonista competitivo pelo receptor da ocitocina humana.

Em ratos e cobaias, o atosibano mostrou ligar-se a receptores da ocitocina, diminuir a frequência das contrações e o tônus da musculatura uterina, resultando numa supressão das contrações uterinas.

Atosibano mostrou também ligar-se ao receptor da vasopressina inibindo, assim o efeito da vasopressina. Em animais, o atosibano não exibiu efeitos cardiovasculares.

No trabalho de parto prematuro da mulher, o atosibano na dosagem recomendada antagoniza as contrações uterinas e induz a latência uterina.

O início do relaxamento do útero após a administração de atosibano é rápido, sendo as contrações uterinas reduzidas no espaço de 10 minutos para atingir a latência uterina estável (menor ou igual que 4 contrações/hora) durante 12 horas.

RESULTADOS DE EFICÁCIA

Diversos estudos foram realizados para comprovar eficácia e segurança do atosibano durante a terapêutica de tratamento de parto prematuro.

Alguns comparando o atosibano a placebo, outros comparando o atosibano (antagonista de ocitocina) aos convencionais agonistas beta-adrenérgicos (beta-agonista)Ref e especificamente a ritodrinae a terbutalina. Os resultados obtidos destes estudos demonstraram:

Que a eficácia tocolítica foi estimada pelo número de mulheres que não deram à luz após 48 horas e 7 dias, e a segurança foi estimada em termos de efeitos colaterais maternos e morbidade neonatal.

Que não há diferenças significativas entre o atosibano e os beta-agonistas, quanto a eficácia (inclusive quando comparado especificamente com a terbutalina e ritodrina - mostrando-se melhor tolerado do que esta última droga beta-agonista); porém no que se diz respeito a segurança, o atosibano mostra-se superior aos beta-agonistas, uma vez que os efeitos colaterais maternos, principalmente os cardiovasculares, foram menos relatados com o uso de atosibano na terapêutica, o que resulta em um menor número de descontinuação de tratamento devido justamente a esta menor ocorrência de efeitos adversos.

Sendo assim, pode-se concluir que o atosibano (antagonista de ocitocina) apresenta vantagens clínicas sobre outras terapêuticas tocolíticas em uso.

INDICAÇÕES

Tractocile (Atosibano) é indicado para retardar o trabalho de parto prematuro iminente em mulheres grávidas com:

Contrações uterinas regulares com pelo menos 30 segundos de duração à uma frequência maior ou igual 4 por 30 minutos.

Uma dilatação cervical de 1 a 3 cm (0-3 para nulíparas) e obliteração cervical maior ou igual a 50%.

Idade maior ou igual a 18 anos.

Uma idade gestacional entre 24 e 33 semanas completas.

Frequência cardíaca fetal normal.

CONTRAINDICAÇÕES

Tractocile não pode ser utilizado nas seguintes condições:

Idade gestacional abaixo de 24 ou acima de 33 semanas completas.

Ruptura prematura das membranas com idade gestacional superior a 30 semanas.

Retardo do crescimento intra-uterino e frequência cardíaca anormal Hemorragia uterina pré-parto requerendo parto imediato.

Eclâmpsia e pré-eclâmpsia graves exigindo o parto.

Morte fetal intra-uterina.

Suspeita de Infecção intra-uterina.

Placenta prévia.

Descolamento prematuro da placenta (abruptio placentae).

Quaisquer outras condições da mãe ou do feto nas quais a continuação da gravidez seja perigosa.

Hipersensibilidade conhecida a substância ativa ou a quaisquer dos excipientes.

MODO DE USAR E CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO DEPOIS DE ABERTO

Os frascos devem ser inspecionados visualmente com relação às partículas suspensas e descoloração da solução antes da administração.

Tractocile é administrado por via intravenosa em três fases sucessivas: uma dose inicial em bólus com Tractocile 7,5 mg/mL - solução injetável (0,9 mL - 6,75 miligramas de atosibano), imediatamente seguida por uma infusão contínua de dose elevada (infusão de carga 300mcg/minuto) de Tractocile7,5 mg/mL - solução concentrada para infusão durante três horas, seguida por uma dose mais baixa de Tractocile 7,5 mg/mL - solução concentrada para infusão (infusão subsequente 100 mcg/minuto) até 45 horas após o início do tratamento. A duração do tratamento não deve ultrapassar 48 horas. A dose total administrada durante um ciclo terapêutico completo com Tractocile, de preferência, não deve exceder 330 miligramas de substância ativa.

Preparo da solução para infusão intravenosa:

Para a infusão intravenosa, descritas nas fases 2 e 3 da posologia, Tractocile (7,5 mg/ml) - Solução Concentrada para Infusão deve ser em uma das seguintes soluções:

Solução de NaCl 0,9% m/v.

Solução de lactato de Ringer.

Solução de glicose 5% m/v.

Esta diluição deve ser realizada na forma descrita abaixo:

1. Retire 10 mL de solução de uma bolsa de infusão de 100 mL e descarte-os;

2. Substitua os 10 mL descartados por 10 mL de Tractocile (7,5 mg/mL) -Solução Concentrada para Infusão IV, proveniente de dois frascos de 5 mL, obtendo uma concentração final de 75 miligramas de atosibano em 100 mL.

Prepare novas bolsas de 100 mL do mesmo modo descrito para permitir a continuidade da infusão.

Se uma bolsa de infusão com um volume diferente é utilizada, um cálculo proporcional deve ser feito para a preparação.

posologia

O tratamento com Tractocile (Atosibano) deve ser iniciado e acompanhado por um médico experiente no tratamento do parto prematuro em unidade obstétrica adequada.

Tractocile (Atosibano) é administrado intravenosamente em três fases sucessivas:

Fase 1. Dose inicial de uma ampola de Tractocile (7,5 mg/mL) - Solução Injetável para Bolus Intravenoso 6,75 mg, em bólus lento;

Fase 2. Seguida imediatamente por uma infusão contínua de alta dosagem (infusão de carga 300 mcg/min 18 mg/h, que corresponde a uma taxa de infusão de 24 mL/h) da Solução para Infusão preparada com Tractocile (7,5 mg/mL) - Solução Concentrada para Infusão durante três horas (vide item Preparo da solução para infusão intravenosa);

Fase 3. Por fim uma infusão, da mesma solução anteriormente preparada, porém, de menor dosagem (infusão subsequente de carga 100 mcg/min 6 mg/h, que corresponde a uma taxa de 8 mL/h), por até 45 horas.

A duração do tratamento não deve exceder 48 horas. A dose total dada durante um curso completo da terapia com Tractocile (Atosibano) não deve, preferivelmente, exceder 330 miligramas da substância ativa.

A terapia intravenosa seguindo a posologia descrita acima deve ser iniciada o mais rápido possível após o diagnóstico de trabalho de parto prematuro.

Para atingir a dosagem acurada, um aparelho de infusão controlada é recomendável para ajustar a taxa de fluxo em gotas/minuto. Uma câmara de micro-gotejamento intravenoso pode fornecer uma faixa conveniente de taxas de infusão dentro dos níveis de dosagem recomendados para Tractocile.

Repetição do Tratamento

No caso de ser necessário a repetição do tratamento com Tractocile, este também deve ser iniciado com uma injeção em bólus de Tractocile (7,5mg/mL) -Solução Injetável seguida por infusão da solução para infusão IV de 0,75mg/ml preparada como descrito anteriormente (Vide item Preparo da solução para infusão intravenosa).

ADVERTÊNCIAS

Quando Tractocile (Atosibano) é utilizado em pacientes com ruptura de membranas diagnosticada, deve-se avaliar os benefícios do prolongamento da gestação em relação ao risco potencial de córion-amnionite.

Não há experiência de tratamento com Tractocile em pacientes com disfunção hepática ou renal.

Tractocile não pode ser utilizado em pacientes com sítio placentário anormal.

Existe apenas uma limitada experiência clínica do uso de Tractocile em gravidez múltipla ou em grupos com idades gestacionais entre 24 e 27 semanas por causa do pequeno número de pacientes tratadas. O benefício de Tractocile (Atosibano) nestes subgrupos é assim, incerto.

A repetição do tratamento com Tractocile (Atosibano) é possível, porém a experiência clínica disponível com relação a tratamentos múltiplos é limitada, só havendo relatos de até 3 repetições.

No caso de retardo do crescimento intra-uterino, a decisão de continuar ou reiniciar a administração de Tractocile (Atosibano), depende da avaliação da maturidade fetal.

A monitoração das contrações uterinas e da frequência cardíaca fetal durante a administração de Tractocile (Atosibano) e no caso de contrações uterinas persistentes deve ser considerada.

Como um antagonista da ocitocina, o atosibano pode teoricamente facilitar o relaxamento uterino e o sangramento pós-parto. Por isso, a perda de sangue após o parto deve ser monitorado. Contudo, a contração uterina pós-parto inadequada não foi observada durante os estudos clínicos.

Uso durante gravidez e lactação: Tractocile deve ser apenas utilizado quando o parto prematuro for diagnosticado entre 24 e 33 semanas completas de gestação.

Em estudos clínicos com Tractocile nenhum efeito foi observado na lactação. Verificou-se que pequenas quantidades de atosibano passaram do plasma para o leite materno de mulheres lactantes.

Os estudos de embriotoxicidade não demonstraram efeitos tóxicos do atosibano.

USO EM IDOSOS, CRIANÇAS E OUTROS GRUPOS DE RISCO

Não indicado à pacientes idosos e em crianças.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Não foram efetuados estudos de interação.

Na ausência de estudos de incompatibilidade, este medicamento não pode ser misturado a outros medicamentos.

REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS

Podem ocorrer possíveis efeitos indesejáveis, geralmente suaves, em mulheres durante o tratamento com Tractocile (Atosibano):

Muito comuns (mais que 10%): Náuseas Comuns (1-10%): dor de cabeça, tonturas, rubor e calor, aumento dos batimentos cardíacos, diminuição da pressão arterial, reação no local da injeção, aumento do nível de açúcar no sangue.

Pouco Comuns (0,1-1%): febre, insônia, coceira, vermelhidão na pele.

Raros (menos que 0,1%): Foram referidos casos esporádicos de sangramento uterino/atonia uterina. A frequência não excedeu aquele dos grupos controles nos ensaios clínicos. Foi referido um caso de reação alérgica e considerado como sendo provavelmente relacionado com o atosibano.

superdose

Foram referidos poucos casos de superdosagem com Tractocile, que ocorreram sem quaisquer sinais ou sintomas específicos. Não há tratamento específico conhecido em caso de superdosagem.

ARMAZENAGEM

O produto deve ser armazenado em uma temperatura média de 2o C - 8o C, no recipiente original; nestas condições Tractocile permanece estável por 24 meses a partir da sua data de fabricação.

DIZERES LEGAIS

Registro M.S.: 1.2876.0010.001-8 Registro M.S.: 1.2876.0010.002-6 Farmacêutico(a) responsável: Dra.Danielle Omoto - CRF/SP-24203

Importador: LABORATÓRIOS FERRING LTDA.

Fabricante: Ferring AB Praça São Marcos, 624-1ºAndar, São Paulo/SP CNPJ:74.232.034/0001-48 Origem da Indústria: Suécia

Distribuidor: Laboratórios Ferring LTDA

Embalado por: Ferring AB VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA;

USO RESTRITO A HOSPITAIS

Bula do Paciente

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Laboratórios Ferring LTDA Tractocile Acetato de Atosibano

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES

USO ADULTO Vias de administração: Intravenosa Solução injetável, em frasco com 0,9 mL de solução;

Solução para infusão, em frasco com 5,0mL de solução Cada frasco de solução de Tractocile contém 7,5mg/mL de atosibano base livre, em forma de acetato de atosibano.

Composição:

Cada mL de Tractocile - solução injetável e de Tractocile - solução concentrada para infusão contém:

Atosibano.....7,5mg Manitol.....50 miligramas Ácido Clorídrico 1N qsp.....pH4,5 Água para injetáveis USP qsp.....1,0mL

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Tractocile contém atosibano, um peptídio sintético, que é um antagonista competitivo do receptor da ocitocina humana. Em ratos e cobaias, o atosibano mostrou ligar-se a receptores da ocitocina, diminuir a frequência das contrações e o tônus da musculatura uterina, resultando em uma supressão das contrações uterinas.

Atosibano mostrou também ligar-se ao receptor da vasopressina inibindo assim, o efeito da vasopressina.

Em animais, o atosibano não exibiu efeitos cardiovasculares.

No trabalho de parto prematuro da mulher, o atosibano na dosagem recomendada antagoniza as contrações uterinas e induz a latência uterina.

POR QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?

Tractocile (Atosibano) é indicado para retardar o trabalho de parto prematuro iminente em mulheres grávidas com:

Contrações uterinas regulares com pelo menos 30 segundos de duração à uma frequência maior ou igual 4 por 30 minutos.

Uma dilatação cervical de 1 a 3 cm (0-3 para nulíparas) e obliteração cervical maior ou igual a 50%.

Idade maior ou igual a 18 anos.

Uma idade gestacional entre 24 e 33 semanas completas.

Frequência cardíaca fetal normal.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

CONTRAINDICAÇÕES

Tractocile não pode ser utilizado nas seguintes condições:

Idade gestacional abaixo de 24 ou acima de 33 semanas completas.

Ruptura prematura das membranas com idade gestacional superior que 30 semanas.

Retardo do crescimento intra-uterino e frequência cardíaca anormal.

Hemorragia uterina pré-parto requerendo parto imediato.

Eclâmpsia e pré-eclâmpsia graves exigindo o parto.

Morte fetal intra-uterina.

Suspeita de Infecção intra-uterina.

Placenta prévia.

Descolamento prematuro da placenta (abruptio placentae).

Quaisquer outras condições da mãe ou do feto nas quais a continuação da gravidez seja perigosa.

Hipersensibilidade conhecida a substância ativa ou a quaisquer dos excipientes.

ADVERTÊNCIAS

Quando Tractocile (Atosibano) é utilizado em pacientes com ruptura de membranas diagnosticada, deve-se avaliar os benefícios do prolongamento da gestação em relação ao risco potencial de córion-amnionite.

Não há experiência de tratamento com Tractocile em pacientes com disfunção hepática ou renal.

Tractocile não pode ser utilizado em pacientes com sítio placentário anormal.

Existe apenas uma limitada experiência clínica do uso de Tractocile em gravidez múltipla ou em grupos com idades gestacionais entre 24 e 27 semanas por causa do pequeno número de pacientes tratadas. O benefício de Tractocile (Atosibano) nestes subgrupos é assim, incerto.

A repetição do tratamento com Tractocile (Atosibano) é possível, porém a experiência clínica disponível com relação a tratamentos múltiplos é limitada, só havendo relatos de até 3 repetições.

No caso de retardo do crescimento intra-uterino, a decisão de continuar ou reiniciar a administração de Tractocile (Atosibano), depende da avaliação da maturidade fetal.

A monitoração das contrações uterinas e da frequência cardíaca fetal durante a administração de Tractocile (Atosibano) e no caso de contrações uterinas persistentes deve ser considerada.

Como um antagonista da ocitocina, o atosibano pode teoricamente facilitar o relaxamento uterino e o sangramento pós-parto. Por isso, a perda de sangue após o parto deve ser monitorado. Contudo, a contração uterina pós-parto inadequada não foi observada durante os estudos clínicos.

PRECAUÇÕES

Uso durante gravidez e lactação: Tractocile deve ser apenas utilizado quando o parto prematuro for diagnosticado entre 24 e 33 semanas completas de gestação.

Em estudos clínicos com Tractocile nenhum efeito foi observado na lactação. Verificou-se que pequenas quantidades de atosibano passaram do plasma para o leite materno de mulheres lactantes.

Os estudos de embriotoxicidade não demonstraram efeitos tóxicos do atosibano.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Não foram efetuados estudos de interação.

Na ausência de estudos de incompatibilidade, este medicamento não pode ser misturado a outros medicamentos.

'INFORME SEU MÉDICO SOBRE QUALQUER MEDICAMENTO QUE ESTEJA USANDO, ANTES DO INÍCIO, OU DURANTE O TRATAMENTO.'

'NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PREJUDICIAL À SUA SAÚDE.'

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

ASPECTO FÍSICO

Solução incolor

CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS

Solução incolor, clara, livre de partículas visíveis e inodora.

DOSAGEM

O tratamento com Tractocile (Atosibano) deve ser iniciado e acompanhado por um médico experiente no tratamento do parto prematuro em unidade obstétrica adequada.

Tractocile (Atosibano) é administrado intravenosamente em três fases sucessivas:

Fase 1. Dose inicial de uma ampola de Tractocile (7,5 mg/mL) - Solução Injetável para Bolus Intravenoso 6,75 mg, em bólus lento;

Fase 2. Seguida imediatamente por uma infusão contínua de alta dosagem (infusão de carga 300 mcg/min 18 mg/h, que corresponde a uma taxa de infusão de 24 mL/h) da Solução para Infusão preparada com Tractocile (7,5 mg/mL) - Solução Concentrada para Infusão durante três horas (vide item Preparo da solução para infusão intravenosa);

Fase 3. Por fim uma infusão, da mesma solução anteriormente preparada, porém, de menor dosagem (infusão subsequente de carga 100 mcg/min 6 mg/h, que corresponde a uma taxa de 8 mL/h), por até 45 horas.

A duração do tratamento não deve exceder 48 horas. A dose total dada durante um curso completo da terapia com Tractocile Atosibano não deve, preferivelmente, exceder 330 miligramas da substância ativa.

A terapia intravenosa seguindo a posologia descrita acima deve ser iniciada o mais rápido possível após o diagnóstico de trabalho de parto prematuro.

Para atingir a dosagem acurada, um aparelho de infusão controlada é recomendável para ajustar a taxa de fluxo em gotas/minuto. Uma câmara de micro-gotejamento intravenoso pode fornecer uma faixa conveniente de taxas de infusão dentro dos níveis de dosagem recomendados para Tractocile.

Repetição do Tratamento

No caso de ser necessário a repetição do tratamento com Tractocile, este também deve ser iniciado com uma injeção em bólus de Tractocile (7,5mg/mL) -Solução Injetável seguida por infusão da solução para infusão IV de 0,75mg/mL preparada como descrito anteriormente (Vide item Preparo da solução para infusão intravenosa).

COMO USAR

Tractocile é administrado por via intravenosa em três fases sucessivas: uma dose inicial em bólus com Tractocile 7,5 mg/mL Solução injetável (0,9 mL - 6,75 miligramas de atosibano), imediatamente seguida por uma infusão contínua de dose elevada (infusão de carga 300mcg/minuto) de Tractocile7,5 mg/mL Solução concentrada para infusão durante três horas, seguida por uma dose mais baixa de Tractocile 7,5 mg/mL - solução concentrada para infusão (infusão subsequente 100 mcg/minuto) até 45 horas após o início do tratamento. A duração do tratamento não deve ultrapassar 48 horas. A dose total administrada durante um ciclo terapêutico completo com Tractocile, de preferência, não deve exceder 330 miligramas de substância ativa.

Preparo da solução para infusão intravenosa:

Para a infusão intravenosa, descritas nas fases 2 e 3 da posologia, Tractocile (7,5 mg/mL) Solução Concentrada para Infusão deve ser em uma das seguintes soluções:

Solução de NaCl 0,9% m/v.

Solução de lactato de Ringer.

Solução de glicose 5% m/v.

Esta diluição deve ser realizada na forma descrita abaixo:

1. Retire 10 mililitros de solução de uma bolsa de infusão de 100 mililitros e descarte-os;

2. Substitua os 10 mililitros descartados por 10 mL de Tractocile (7,5 mg/mL) -Solução Concentrada para Infusão IV, proveniente de dois frascos de 5 mL, obtendo uma concentração final de 75 miligramas de atosibano em 100 mL.

Prepare novas bolsas de 100 mL do mesmo modo descrito para permitir a continuidade da infusão.

Se uma bolsa de infusão com um volume diferente é utilizada, um cálculo proporcional deve ser feito para a preparação.

'NÃO USE O MEDICAMENTO COM PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. ANTES DE USAR OBSERVE O ASPECTO DO MEDICAMENTO.'

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?

Podem ocorrer possíveis efeitos indesejáveis, geralmente suaves, em mulheres durante o tratamento com Tractocile (Atosibano):

Muito comuns (mais que 10%): Náuseas Comuns (1-10%): dor de cabeça, tonturas, rubor e calor, aumento dos batimentos cardíacos, diminuição da pressão arterial, reação no local da injeção, aumento do nível de açúcar no sangue.

Pouco Comuns (0,1-1%): febre, insônia, coceira, vermelhidão na pele.

Raros (menos que 0,1%): Foram referidos casos esporádicos de sangramento uterino/atonia uterina. A frequência não excedeu aquele dos grupos controles nos ensaios clínicos. Foi referido um caso de reação alérgica e considerado como sendo provavelmente relacionado com o atosibano.

'Atenção: este é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis para comercialização, efeitos indesejáveis e não conhecidos podem ocorrer. Nesse caso informe seu médico.'

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?

Foram referidos poucos casos de superdosagem com Tractocile, que ocorreram sem quaisquer sinais ou sintomas específicos. Não há tratamento específico conhecido em caso de superdosagem.

ONDE E COMO DEVO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Deve ser guardado em uma temperatura média entre 2o C - 8o C e dentro do recipiente original, nestas condições Tractocile encontra-se estável no prazo de 24 meses após sua data de fabricação.

'TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS.'

DIZERES LEGAIS

Registro M.S.: 1.2876.0010.001-8 Registro M.S.: 1.2876.0010.002-6 Farmacêutico(a) responsável: Dra.Danielle Omoto - CRF/SP-24203

Importador: LABORATÓRIOS FERRING LTDA.

Fabricante: Ferring AB Praça São Marcos, 624-1ºAndar, São Paulo/SP CNPJ:74.232.034/0001-48 Origem da Indústria: Suécia

Distribuidor: Laboratórios Ferring LTDA

Embalado por: Ferring AB VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA;

USO RESTRITO A HOSPITAIS

Laboratório

Laboratórios Ferring Ltda.

Al. dos Guaramonis, 1.124 São Paulo/SP - CEP: 04076-012 Tel: 55 (011) 533-9148 Fax: 55 (021) 241-0393 Email: ferring@ibm.net Site: http://www.ferring.com/

Ver outros medicamentos deste laboratório Pesquisar o preço deste medicamento.

Aviso legal


Bulas
Principal