Travisco - Bula

Travisco



Travisco

Indicação

Para quê serve Travisco?

Cardiopatia isquêmica. Prevenção da reestenose pós-angioplastia coronária. Indicações terapêuticas complementares: arteriopatias periféricas, na prevenção de acidentes vasculares cerebrais e demais doenças com risco trombogênico com hiperagregação plaquetária.

Contraindicações

Quando NÃO devo usar este medicamento?

Hipersensibilidade conhecida ao fármaco. Pacientes portadores de diáteses hemorrágicas ou distúrbios da coagulação sanguínea, úlcera péptica em atividade, AVC hemorrágico ou hemopatias com aumento do tempo de sangramento.

Posologia

Como usar Travisco?

Via oral. Para uso por pacientes adultos. Travisco 200 mg: um comprimido duas vezes ao dia. Na prevenção da reestenose pós-angiografia coronária a posologia pode ser aumentada, a critério médico e com base no quadro clínico, para 600 miligramas por dia. É aconselhável a administração dos comprimidos após as refeições. - Superdosagem: em caso de superdosagem, será indispensável supervisionar os parâmetros hemodinâmicos (pressão arterial, frequência cardíaca) do paciente e administração de uma terapêutica sintomática de apoio. Pacientes idosos: nos pacientes idosos, é recomendável iniciar-se o tratamento com doses mais baixas, aumentando-se gradativamente de acordo com a resposta clínica.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Em pacientes hipersensíveis ao fármaco, foram observadas erupções cutâneas, prurido e, raramente, febre. Ocasionalmente foi descrito aumento das taxas de transaminases (TGO e TGP), fato reversível com a suspensão da terapêutica. Foram relatadas, algumas vezes, reações gastrintestinais, tais como: sensação de plenitude gástrica, flatulência, distúrbios gástricos, náuseas, vômitos, falta de apetite e dor abdominal; raramente diarréia ou constipação intestinal. Reações neurológicas do tipo cefaléia e/ou vertigem e raros casos de sonolência ou fadiga e de insônia foram ocasionalmente descritos, geralmente ao início do tratamento. Foram observadas raramente palpitações, hipotensão ortostática, taquicardia, sudorese e opressão torácica. Uso durante a gravidez ou lactação: o produto só deverá ser administrado durante o período de gravidez ou de lactação em caso de necessidade absoluta e sob supervisão médica intensa. Uso em pediatria: não existe experiência clínica com o produto no tratamento de pacientes pediátricos.

Advertências e precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

O produto deverá ser usado com cautela em pacientes com insuficiência hepática. Não é aconselhado o uso do produto na gravidez presumida ou confirmada, bem como em pacientes que apresentem colagenoses, pelo aumento da incidência dos efeitos colaterais. Devem ser tomados cuidados especiais na administração concomitante com anticoagulantes orais, heparina e anti-inflamatórios não esteróides. Suspender a administração do produto 3 a 5 dias antes de intervenções cirurgicas. - Interações medicamentosas: poderá ocorrer interação medicamentosa com outros antiagregantes plaquetários (ácido acetilsalicílico, dipiridamol, ticlopidina), anticoagulantes orais (dicumarínicos) e/ou anticoagulantes sistêmicos (heparina), assim como, com anti-inflamatórios não esteróides inibidores da cicloxigenase.

Composição

Cada comprimido de 200 miligramas contém: trapidil 200mg. Excipientes: lactose, hidroxipropilmetilcelulose, metilcelulose, estearato de magnésio, sílica precipitada.

Apresentação

Caixa contendo 30 comprimidos.

Laboratório

Indústria Brasileira


Bulas
Principal